sexta-feira, dezembro 31, 2010

BR-040 deve receber mais de 190 mil veículos no período do Ano Novo

A BR-040 deve receber pouco mais de 190 mil veículos entre os dias 30 de dezembro e 2 de janeiro. Se confirmado, o volume de tráfego estimado será 25% maior do que a rodovia registrou durante o Natal. Uma operação especial foi organizada pela Concer para atender a demanda do período. As três praças de pedágio contarão com o reforço de 52 papa-filas para facilitar o pagamento do pedágio e a passagem dos veículos.
A Concessionária suspendeu, desde o último dia 22, todas as obras que causam interdições de faixas, à exceção da obra que ocorre no km 115, em Duque de Caxias, onde o alargamento das pontes sobre o Rio Iguaçu bloqueia parcialmente a pista do sentido Petrópolis. Uma pista reversível funciona no trecho para compensar a interdição parcial. O motorista também deve ter atenção redobrada ao passar pelo km 41, em Areal (sentido RJ). O trecho encontra-se em meia pista por causa de uma queda de barreira ocorrida na semana passada. Engenheiros da Concessionária avaliam que tipo de intervenção a encosta deve receber para evitar novos deslizamentos no trecho.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

quinta-feira, dezembro 30, 2010

quarta-feira, dezembro 29, 2010

Carreta tomba e deixa dois feridos na BR-040

Com um número recorde de acidentes envolvendo veículos de carga, a Rodovia BR-040 voltou a ser palco, na madrugada de ontem, do tombamento de mais uma carreta. As condições em que ficou a carreta, uma Scânia, assusta quem passa pelo Km-92 da pista de descida da serra, onde o veículo permaneceu durante todo o dia de ontem. No veículo, além do motorista José Saraiva de Souza, que sofreu ferimentos leves, estava ainda o ajudante Marcos Vinícius Rezende, que está internado, em estado grave, no Hospital Santa Teresa.
O acidente aconteceu por volta de 1h. A Scânia branca havia saído de Minas Gerais na tarde de domingo e seguia para fazer a entrega de tubos de gasoduto na Petrobras. Logo depois de fazer uma curva, o motorista teria perdido o controle da direção e a carreta acabou tombando sobre a mureta de proteção. O veículo se arrastou pelas margens da estrada e cerca de 16 tubos – com cinco toneladas e 15 metros de cumprimento cada um – ficaram espalhados pela estrada, deixando o trânsito em meia pista.
Motoristas que seguiam logo atrás do caminhão acionaram a Concer para socorrer as vítimas, que estavam presas nas ferragens. O motorista estava consciente mas, muito nervoso, não conseguiu revelar as causas do acidente. Já o colega teria sido levado desacordado para o hospital. De acordo com a Polícia, ainda está sendo apurado se o veículo estava em alta velocidade, mas, a princípio, não havia marcas de frenagem.
Até novembro deste ano, apenas na Serra de Petrópolis, a Polícia Rodoviária Federal já havia registrado um total de 205 acidentes envolvendo veículos de carga. Neste último, mais uma vez o tombamento aconteceu no trecho considerado por caminhoneiros como um dos mais perigosos da pista de descida da rodovia. “Esse trecho é traiçoeiro, pois faz com que o motorista acredite que terminou de descer a serra e, de repente, é surpreendido por novo declive”, afirma o caminhoneiro Jorge Lisboa, salientando que, por inúmeras vezes, pediu providências à Concer, mas até hoje não obteve resposta. “Falta de sinalização e má conservação da estrada também contribuem para a ocorrência de acidentes”, completa.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

terça-feira, dezembro 28, 2010

Queda de barreira impede trânsito na pista sentido Juiz de Fora da BR 040

A forte chuva que atingiu a cidade na tarde desta segunda-feira (27) causou queda de barreira também na BR 040, na altura do km 76, da pista sentido Juiz de Fora, da rodovia federal. O trânsito está impedido no local até o momento. Equipes da Concer, concessionária que administra a rodovia, trabalham na limpeza e retirada da lama do trecho. A BR 040, que passa por Petrópolis, é a principal ligação entre os estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

segunda-feira, dezembro 27, 2010

domingo, dezembro 26, 2010

sábado, dezembro 25, 2010

É NATAL !!!

O natal pode ser uma data, mas somente pode ser comemorado por aqueles que realmente entendem seu significado.

sexta-feira, dezembro 24, 2010

Comdep limpa lama trazida pela chuva

A Companhia de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep) realizou durante todo o dia de ontem a limpeza e lavagem das ruas e da pista da Estrada União e Indústria, em Itaipava, que ficaram alagadas com o temporal que atingiu a região na noite da última quarta-feira. De acordo com a Defesa Civil, foram 30 milímetros de chuva em 30 minutos.
A Comdep informou que na lavagem foram utilizados três caminhões-pipa e mais 30 funcionários, que ficaram espalhados pela região realizando a limpeza. Vários caminhões foram utilizados para fazer a retirada da lama do local. O Comitê de Ações Emergenciais esclareceu que nesta época de fim de ano e feriados prolongados haverá equipes de prontidão 24 horas para qualquer situação de emergência.
onte: Tribuna de Petrópolis

quinta-feira, dezembro 23, 2010

Usuários reclamam de falta de informação

As obras realizadas pela Concessionária Rio-Petrópolis-Juiz de Fora continuam sendo alvo de críticas por parte de comerciantes que estão preocupados com a imagem negativa da cidade por conta dos engarrafamentos. Durante o fim de semana, o aumento no fluxo de veículos e o movimento de carretas, aliados às obras que estão sendo realizadas pela Concer, fizeram com que o percurso entre o Rio e Petrópolis, normalmente feito em cerca de 50 minutos, se estendesse por quase quatro horas. Usuários reclamaram da falta de informações sobre as condições do tráfego na praça de pedágio.
“No Rio, é comum que a Prefeitura informe as condições das vias em painéis luminosos, para que o motorista possa escolher rotas alternativas. A Concer deveria adotar a mesma medida, informando, já desde a Linha Vermelha, ou mesmo antes do motorista chegar ao pedágio, quais são as condições de trânsito na serra, se existem pontos de retenção, quanto tempo em média está demorando para que o usuário chegue a Petrópolis”, sugere Geraldo Bechara, que mora no Rio e tem uma casa em Itaipava.
No sábado, ele subiu a serra para passar o fim de semana em Petrópolis, mas desistiu e retornou no Belvedere, depois de ficar por um longo tempo preso em um engarrafamento. “Se eu soubesse que estava tudo engarrafado daquele jeito, teria subido por Teresópolis e voltado depois para Itaipava pela BR-495 (Itaipava-Teresópolis). A Concer dispõe de painéis, mas eles estão todos desligados, com isso o motorista que sai do Rio em direção a Petrópolis fica sem informação. Os painéis são muito importantes para orientar os motoristas, para que eles possam ter alternativas antes de ficar presos no engarrafamento. No sábado, nem mesmo na praça de pedágio eles estavam informando sobre os transtornos que os motoristas enfrentariam na subida da serra”, reclamou.
Empresários estão preocupados com os reflexos do impacto disso, no turismo e nas vendas. “Se a Concer de fato reabrir a pista antes do Natal, é importante que isso seja amplamente divulgado, para que as pessoas saibam que não vão enfrentar quatro horas de engarrafamento, como aconteceu no fim de semana passado. Se isso não for feito, os veranistas não virão para Petrópolis, e o movimento para o comércio será muito ruim”, disse o comerciante Richard Pavelka.
A circulação de veículos pesados sem qualquer tipo de restrição de horário, que contribui para as frequentes retenções no trânsito, também preocupa comerciantes. “A Concer deveria restringir o horário de circulação de carretas. Não dá para continuarmos tendo carretas bitrem, por exemplo, que ocupam uma das pistas e deixam o trânsito lento, subindo a serra em horários de pico. É preciso que haja uma restrição de horários, pois isso também prejudica muito a cidade”, disse o presidente do Sindicato do Comércio (Sicomércio) e da Associação de Lojistas da Rua Teresa, Marcelo Fiorini. Durante o fim de semana, o trânsito de carretas contribuiu para aumentar o congestionamento, no trecho da obra, onde apenas uma faixa estava liberada ao trânsito.
A assessoria de imprensa da Concer informou ontem à tarde que “as praças de pedágio da Concer têm como procedimento informar ao motorista sobre qualquer eventualidade na rodovia e se integram a outras formas de comunicação e alerta mantidas pela concessionária, que abrangem o serviço de Condições de Tráfego e Clima, além de boletins à imprensa. As Condições de Tráfego e Clima podem ser obtidas pelo 0800-282-0040 ou pelo www.concer.com.br. O setor de Arrecadação, responsável pelas praças de pedágio, verifica se houve alguma falha pontual na divulgação da retenção e reforçou o procedimento para que o alerta seja feito aos motoristas”. Ainda de acordo com a assessoria, ontem a Concer registrou retenção que variou de um a dois quilômetros no trecho próximo ao Km-82. “As equipes trabalham continuamente para reabrir o ponto sob intervenção o quanto antes, mas também dependem das condições climáticas”, diz a nota.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

quarta-feira, dezembro 22, 2010

Festa do BUS 3





Obra para a subida da serra e comércio registra queda de 40% no movimento

Comerciantes, empresários e entidades ligadas ao setor de turismo da cidade estão indignados com os prejuízos que vêm sendo causados pelo extenso engarrafamento decorrente de uma obra executada pela concessionária que administra a Estrada Rio-Petrópolis-Juiz de Fora (Concer). As intervenções para recuperação da via estão sendo feitas na altura do Km-82-JF (Quitandinha) da BR-040 e deixaram em meia pista o trecho a alguns metros do trevo do Quitandinha, que dá acesso ao túnel para o Bingen. Na tarde de sexta-feira e durante todo o sábado, a retenção no trânsito ultrapassou o posto da Polícia Rodoviária Federal, na altura do Belvedere. Com apenas uma das pistas liberada, e o aumento no movimento de veículos, comum nesta época de fim de ano, o percurso normalmente feito em menos de 50 minutos chegou a se prolongar por quatro horas, causando transtornos aos motoristas e levando muitas pessoas a desistir de vir a Petrópolis.
Tenho uma casa em Itaipava há 21 anos. O que vi acontecer no sábado foi absurdo: um engarrafamento enorme, vários carros fervendo na serra, pessoas passando mal por ter que ficar paradas embaixo daquele sol, um desrespeito aos usuários. Por volta de 13h, optei por retornar no Belvedere, voltar para o Rio e esperar que o engarramento diminuísse para subir de novo a serra. Liguei para a Concer até às 23h, mas os operadores informaram que continuava havendo retenção. Acabei desistindo de passar o fim de semana em Itaipava. O que a Concer fez foi uma imbecilidade. Eles praticamente fecharam o acesso à cidade por causa de uma obra que não é emergencial. É uma insensibilidade total por parte da Concer fazer uma obra como esta, às vésperas das festas de fim de ano, quando as pessoas vêm a Petrópolis fazer suas compras, muitos estão de férias e o movimento é maior na estrada”, disse Geraldo Bechara, que trabalha no mercado financeiro no Rio.
Os reflexos da dificuldade de acesso foram duramente sentidos por comerciantes da Rua Teresa, do Centro Histórico e do polo de modas do Bingen, onde empresários registraram um prejuízo de mais de 40% nas vendas. Por conta disso, o Sindicato do Comércio (Sicomércio), a Associação de Lojistas da Rua Teresa e o Polo de Modas do Bingen encaminharam uma carta de repúdio à Concer. “Estamos muito revoltados com essa obra. É uma covardia o que a Concer fez com o comércio da cidade no último fim de semana antes do Natal. Soubemos que vários pessoas que vinham para a Rua Teresa no sábado acabaram desistindo e voltando quando chegavam ao Belvedere. As pessoas estavam demorando mais de quatro horas pra chegar a Petrópolis, muitos carros ferveram na serra porque ficaram presos no engarrafamento. Com essa atitude, a Concer mostra que é irresponsável e deixa claro, mais uma vez, que não tem compromisso algum com Petrópolis. Registramos uma queda de 40% nas vendas em relação ao sábado anterior. Todos os comerciantes estão revoltados”, afirma o presidente do Sicomércio e da Arte, Marcelo Fiorini.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

terça-feira, dezembro 21, 2010

Câmara Municipal pede a ANTT que fiscalize obras no KM 82 da BR 040

A Câmara de Vereadores está acionando a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para que fiscalize, com urgência, a obra que a concessionária Concer, que administra a BR-040, está fazendo na altura do quilômetro 82. A intervenção vem causando, desde semana passada, longos engarrafamentos na pista de subida da serra, prejudicando comércio e indústrias e penalizando os petropolitanos que se deslocam diariamente entre a Cidade Imperial e o Rio de Janeiro.
No ofício, a Câmara pede, além da fiscalização, que sejam aplicadas penalidades no caso de a concessionária ter incorrido em prejuízo desnecessário para os usuários.
A Câmara de Vereadores ingressou, no início deste ano, na Justiça, pedindo melhorias imediatas na estrada e revisão do valor do pedágio. Uma liminar neste sentido foi concedida pela justiça, porém, a concessionária recorreu suspendendo seus efeitos. Na ação civil pública, a Câmara de Vereadores cobra medidas estruturais incluindo contenção de encostas e instalação de telefones.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

segunda-feira, dezembro 20, 2010

Festa do BUS 2




Festa do BUS 1 !!!!




Hotéis lotados nas festas de fim de ano

Nas vésperas das festas de fim de ano, pousadas e restaurantes da cidade já estão com a lotação quase esgotada. Em alguns, a taxa de ocupação para o Réveillon já é de 99%, enquanto para o Natal, quando a procura é menor, já atinge a marca de 60%. Mais uma vez, os empresários do ramo apostaram numa boa programação, com muito divertimento e na elaboração de pacotes promocionais.
De acordo com Flávio Câmara, presidente do Petrópolis Convention & Visitors Bureau, o balanço da ocupação dos hotéis e pousadas só será conhecido no próximo dia 22 de dezembro, porém, ele garante que os empresários estão bastante animados. “Com certeza a expectativa é de que este ano a procura seja maior do que o ano passado. Pela procura que estamos tendo, acredito que o número realmente será superado”, disse.
Na Pousada da Alcobaça, por exemplo, a ocupação para o Réveillon já está 100% fechada, enquanto para o Natal restam apenas três quartos. “Fizemos pacotes de, no mínimo, três diárias. Em poucos dias tivemos a resposta e já podemos dizer que a procura está melhor do que o ano passado”, explica a gerente Maria do Céu, acrescentando: “Em 2009, a casa ficou cheia apenas no Ano Novo. Então, as expectativas são das melhores”, disse, animada.
O mesmo acontece na Bomtempo Resort, cuja lotação está em 99% apenas para o Revéillon, enquanto para o Natal, a ocupação já superou as expectativas e atinge a marca dos 60%. Porém, os poucos quartos que ainda estão vagos para a noite de Ano Novo devem ser ocupados até, no máximo, o próximo dia 23. A programação, escolhida pelo local, com queima de fogos, DJs e ceia, por exemplo, foi decisiva para os clientes na hora de fazer as reservas.
O público, segundo representantes da pousada, também mostrou uma mudança de perfil. De acordo com funcionários da pousada, o Réveillon de 2010 será mais em família. “A maioria das reservas são para grupos familiares, como pais e filhos”, disse. No local, os pacotes oferecidos eram de, no mínimo, com cinco diárias, incluindo meia pensão, ou seja, café da manhã e almoço.
O Hotel Pedra Bonita também já está com a lotação quase esgotada. E, como a maioria dos hotéis e pousadas, também elaborou uma programação diferenciada para os hospedes. Esta inclui ceias com variadas opções. Para o Natal haverá a chegada do Papai Noel com entrega de presentes para as crianças. Já para celebrar a chegada de 2011 haverá música ao vivo, telão e queima de fogos. Os casais serão brindados com uma garrafa de espumante.
Na Pousada de Araras para o Natal a lotação já está em 40%, enquanto para o Réveillon, a ocupação atinge os 90% e a expectativa é de que todas as acomodações estejam ocupadas até o dia 31 de dezembro. Os responsáveis pelo local apostaram naqueles que pretendem fugir da badalação e não elaborou qualquer programação diferenciada.
Depois de 13 anos sem ser realizado, o Réveillon do Petropolitano FC. está voltando com força total e está com grande procura. Cerca de 40% das mesas já foram reservadas. “Na realidade, a procura aumentou nos últimos dez dias, tanto por telefone ou na portaria do clube. Se continuar nesse ritmo, são grandes as chances de, antes do dia 30 de dezembro, os ingressos já estarem esgotados”, diz Jorge Luiz da Silva, funcionário do local. A festa irá acontecer em dois ambientes, com DJs, telões com transmissão dos fogos em Copacabana e a tradicional chuva de prata.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

domingo, dezembro 19, 2010

Projeto de duplicação da BR-040 está na internet

Atendendo ao requerimento encaminhado pela Comissão de Revisão e Estudo do Plano Diretor de Petrópolis, a Concer enviou no último dia 30, em arquivo digital, o plano funcional do projeto da nova subida da serra, o estudo de impacto ambiental e o relatório de impacto ambiental. O requerimento, assinado pelo vereador Thiago Damaceno, presidente da comissão, teve como objetivo facilitar o acesso e ampliar o debate sobre a nova pista de subida da serra. Desta forma, a Comissão Especial de Revisão e Estudo do Plano Diretor de Petrópolis disponibilizou, no site da Câmara Municipal, todas as informações apresentadas pela Concer durante audiência pública realizada em setembro.
Apesar de ter sido divulgado naquela oportunidade, o documento nunca foi disponibilizado para a população. Apenas um vídeo com imagens da nova pista foi divulgado na internet, sem revelar maiores detalhes ou o impacto gerado. No documento enviado à Câmara, foram disponibilizados tópicos que tratam de assuntos como o estudo prévio de impacto ambiental, o empreendimento, alternativas, área de influência, legislação e programas de governo, diagnóstico, análise integrada, o prognóstico e avaliação de impactos ambientais, mitigação, compensação e programas ambientais.
O vereador Thiago Damaceno acredita que a publicação é de extrema importância para a sociedade. “Dessa forma, a população pode ter acesso ao documento completo de forma simples, e pode fazer uma avaliação completa, com seus pontos positivos e negativos”, declarou, destacando ainda que os vídeos não permitem essas avaliação.
De acordo com o parlamentar, a sociedade precisa acompanhar o projeto de duplicação. Apesar de ser um desejo antigo da sociedade, a nova BR-040 tem grandes mudanças em relação à pista atual. A principal entrada da cidade passaria a ser pelo bairro Duarte da Silveira, e não pelo Quitandinha, como ocorre hoje. Além disso, há a preocupação com o que será feito com a pista utilizada atualmente, já que a nova subida será paralela à atual pista de descida.
O projeto pode ser lido, na íntegra, através do site www.cmp.rj.gov.br/planodiretor.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

sábado, dezembro 18, 2010

Obra da Concer deixa trânsito lento

Uma obra da Concessionária Rio-Juiz de Fora (Concer) para recuperação de pavimento deixou o trânsito lento ontem, no fim do dia, no final da subida da serra de Petrópolis. A intervenção, na faixa da direita no Km-92, pouco antes do Posto da Polícia Rodoviária Federal, no Quitandinha, estreitou a pista, provocou o engarrafamento e irritou muitos motoristas. “A gente quer chegar em casa logo e ainda é obrigado a enfrentar esse engarrafamento. É desgastante”, lamentou o engenheiro Luiz Fábio Assumpção, dizendo que a obra deveria ser feita no período noturno. “Sei que é uma melhoria, mas seria interessante que pensassem mais nos usuários e escolhessem horários menos movimentados”. Quem subia a serra ontem, por volta das 20h, encontrava o trânsito parado antes mesmo da entrada do Duques.
Durante o dia, muitos motoristas encontraram outros problemas no caminho. Em nota, a Concer informou que retirou da pista as três carretas que colidiram à tarde na BR-040, em trecho de Duque de Caxias, altura do Km-112, no sentido Petrópolis. Uma vítima foi retirada das ferragens com ferimentos graves e levada pelos bombeiros para o hospital de Saracuruna. A retenção nas pistas principal e lateral chegou ao Km-114, em frente à Reduc. Também em Caxias, o motorista que seguia para a região serrana encontrava, no Km-115, obra de alargamento da ponte sobre o Rio Iguaçu, que deixou duas faixas interditadas. O usuário tinha como opção uma pista reversível, com extensão de 800 metros aproximadamente. Já em Areal, a construção de um retorno interditou a pista do sentido Juiz de Fora, na altura do Km-43,5. Com isso, a pista sentido Rio de Janeiro operou em mão dupla por um trecho de 800 metros.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

sexta-feira, dezembro 17, 2010

Conclusão das obras do parque fluvial é adiada

O término da construção do parque fluvial do Rio Piabanha, em Itaipava, está atrasado devido às questões indenizatórias com pelo menos cinco famílias que vivem às margens do rio. A população, no entanto, alega que ainda não foi procurada para discutir o assunto por representantes do Instituto Estadual de Ambiente (Inea), responsável pelas obras de 32 quilômetros de extensão da faixa marginal dos rios Piabanha e Santo Antônio, orçadas em R$ 50 milhões com recursos do Fecam (Fundo Estadual de Conservação Ambiental e Desenvolvimento Urbano).
Segundo a vendedora Márcia Cristina Bastos, desde o início da construção do parque fluvial na região, há cerca quatro meses, nenhum morador da Rua Dr. Altair de Oliveira Lima foi procurado pelo Inea. “Nós temos a documentação correta da nossa residência e até agora não fomos procurados por nenhum órgão responsável para conversar sobre a execução das obras e os danos que pode nos causar. Há cerca de três meses, alguns técnicos estiveram às margens do rio em frente à casa da minha mãe, estudando o espaço, mas não falou com os moradores e estamos preocupados”, contou.
Na semana passada, representantes da Associação de Diretores e Amigas do Santa Mônica (NovAmosanta) se reuniram com a diretoria do Inea para cobrar agilidade nas obras de conclusão do parque. “Solicitamos o encontro após receber denúncias que a construção havia sido paralisada devido à lentidão das obras. Nos informaram que as obras não foram interrompidas, mas ainda assim estamos preocupados, porque há um atraso no cronograma. Temos medo que as invasões às margens do Rio Piabanha continuem”, disse a diretora Yara Valverde no encontro da NovAmosanta.
O diretor de Recuperação Ambiental do Inea, Iel Jordão, admitiu problemas na execução do projeto. “A construção do parque fluvial do Piabanha está enfrentando dificuldades como qualquer obra, mas o trabalho continua sem interrupção. Os problemas são relacionados às indenizações dos moradores, o que já estão sendo resolvido”, disse.
O Projeto Orla Piabanha (POP) foi concebido em 2001 pelo Inea com o objetivo de estimular o ecoturismo e ao mesmo tempo prevenir o assoreamento dos rios Piabanha e Santo Antônio. A idéia é que uma ciclovia e ecovia sejam instaladas às suas margens. A ciclovia se estenderá pelos cinco distritos da cidade. Nesta primeira etapa, prevista para ser concluída no primeiro trimestre de 2011, estão sendo construídos dois quilômetros e oitocentos metros. A idéia é que após a conclusão de todas as fases, moradores possam cruzar a cidade desde o Retiro até o distrito da Posse.
De acordo com o secretário de Planejamento e Urbanismo, Agnaldo Goivinho, responsável pelo paisagismo da orla, a construção tem a função de beneficiar a população local, além de impulsionar o turismo da região.

Fonte: Tribuna de Petrópolis

quinta-feira, dezembro 16, 2010

Comcidade promove debate sobre a construção da nova subida da serra

A reunião extraordinária do Conselho Municipal das Cidades (Comcidade), na noite de segunda-feira, no Centro de Capacitação Frei Memória, deixou claro que ainda há muitas dúvidas e questionamentos sobre o projeto de construção da nova pista de subida da Serra de Petrópolis. O presidente da Concer, Pedro Jonsson, apresentou o projeto da nova pista, com a modificação da saída do túnel, que antes era na Duarte da Silveira e agora sai na região do Contorno.
A reunião foi presidida pelo secretário de Planejamento, Aguinaldo Goivinho, que falou sobre a importância da discussão e manifestou sua preocupação com a situação da pista atual de subida. Para ele, é preciso discutir melhor a situação da serra, pois pode sofrer um processo de favelização com o abandono. Ele frisou ainda que o trecho de Belvedere está tombado pelo município e qualquer intervenção precisa passar por aprovação do Governo Municipal.
Segurança do pedestre, dos motoristas e equipes de socorro, assim como o despejo do entulho da obra da nova pista e o impacto que a obra pode causar foram alguns dos temas discutidos na reunião. O presidente da Concer frisou que todas as medidas estão sendo tomadas para que estas questões sejam previstas no projeto, lembrando que está sempre disponível para receber a comunidade e discutir o projeto.
Pedro Jonsson disse que a Concer paga mensalmente entre R$ 250 mil e 300 mil de ISS à Prefeitura de Petrópolis, e mesmo assim se colocou à disposição do governo para ajudar no que for possível. Citou como exemplo a doação de uma ambulância UTI, que em breve será entregue à Secretaria Municipal de Saúde, e a construção da ligação Bingen/Quitandinha.
Sobre a ligação, o presidente da Concer voltou a afirmar que a obra não é de responsabilidade da empresa e muito menos do Governo Federal, mas que, pela política de um bom diálogo com a comunidade e com os governos, decidiu incluir no projeto a obra de ligação. O projeto ainda está em fase de discussão e, segundo o presidente da Concer, após sua aprovação a obra vai durar três anos e será de grande importância para o desenvolvimento do estado.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

quarta-feira, dezembro 15, 2010

terça-feira, dezembro 14, 2010

Temporal causa alagamento na BR-040

A forte chuva que atinge Duque de Caxias nesta tarde formou um bolsão d'água no km 114 da BR-040, na pista do sentido Juiz de Fora, exigindo atenção redobrada dos motoristas. O trecho apresenta retenção de aproximadamente um quilômetro. Próximo dali, no km 115, há um estreitamento da pista em razão de uma obra de alargamento da ponte sobre o Rio Iguaçu. Uma pista reversível funciona no trecho para atender o fluxo que segue em direção a Petrópolis. No trecho da serra, também chove com intensidade.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

segunda-feira, dezembro 13, 2010

Volta do trem à Serra da Estrela tem apoio de Magé


O grupo de trabalho pela reativação da ferrovia na Serra da Estrela (GTTrem) recebeu nesta semana o apoio dos vereadores Bernardo Rossi e Paulo Igor, ambos do PMDB. Os parlamentares se reuniram com o GTTrem e o prefeito de Magé, Rozan Gomes. Representantes do governo do estado e das prefeituras de Petrópolis e de Magé devem assinar o termo de cooperação para a reativação da Estrada de Ferro Príncipe Grão Pará nas próximas semanas.
O projeto orçado em aproximadamente R$ 70 milhões prevê a recomposição de seis quilômetros de trilhos, sendo quatro no trecho entre o Alto da Serra e a raiz da Serra, e dois deste ponto até a Vila Inhomirim, em Magé. A previsão é de que a linha férrea entre em operação até a Copa do Mundo em 2014, e atenda mais de mil pessoas por dia, uma média de 400 mil por ano. O preço das passagens deverá variar entre R$ 15 e R$ 25 e o percurso até Magé poderá ser feito em menos de 30 minutos.
“Fomos procurados na Câmara pelo GTTrem, que falou sobre a importância do forte envolvimento da prefeitura de Magé nesse projeto. Conseguimos agendar a reunião com o prefeito Rozan Gomes, que mostrou firme interesse em agilizar o processo. O estado também reconhece a importância da reativação da estrada de ferro. Sua implementação tem o apoio do governador Sérgio Cabral, que designou o secretário de Obras, Luiz Fernando Pezão, e o secretário de Transportes, Júlio Lopes, para acompanhar seu desenvolvimento. A reunião em Magé foi muito produtiva. Nossa expectativa agora é de que a assinatura do termo de cooperação entre o estado e os municípios seja formalizada em uma cerimônia no Museu Imperial, com a presença do governador”, disse Bernardo. Deputado eleito, Bernardo Rossi se comprometeu a, na Alerj, buscar mecanismos para tornar o projeto realidade.
A reunião foi acompanhada também pelo presidente eleito da Câmara, Paulo Igor, e pelo vereador Albano Filho (Baninho). “Ficamos muito satisfeitos com o resultado desta reunião, pois o envolvimento da prefeitura de Magé é um ponto importante para que esse projeto saia do papel. O compromisso de trabalhar pelo projeto, por parte do prefeito de Magé, era considerado crucial pelos integrantes do GTTrem”, acrescenta Paulo Igor.
Ao receber a comissão do GTTrem, o prefeito de Magé assinalou que, além de impulsionar o turismo, o projeto pode significar meio de transporte alternativo entre Petrópolis e Magé e viabilizar a ligação marítima pelo Porto de Mauá, onde poderá haver o escoamento, no futuro, de transporte de carga e passageiros que utilizarão os dois meios de transporte, ferroviário e marítimo, beneficiando todo os estado do Rio de Janeiro.
“Não posso deixar de lembrar que Magé foi apontado como município estratégico para o Comperj e esses dois meios facilitam a chegada e produção das novas indústrias, que irão gerar riquezas para a região”, disse Rozan Gomes. O prefeito agradeceu a visita do presidente da Câmara de Petrópolis e deputado eleito, Bernardo Rossi, e de toda a comissão. “Desejo sucesso ao seu mandato no Legislativo Estadual e espero poder contar com sua ajuda e visão para o crescimento de Magé”, afirmou.


Projeto orçado em R$ 70 milhões

No mês passado, representantes das secretarias estaduais de Obras e transporte entregaram a minuta do termo de cooperação técnica para a reativação da Ferrovia Príncipe do Grão Pará ao chefe Gabinete da Prefeitura de Petrópolis, Carlos Abenza, e ao secretário de Planejamento, Aguinaldo Goivinho. O documento define as responsabilidades atribuídas a cada uma das partes envolvidas no projeto – governo do estado e as prefeituras de Petrópolis e Magé. Na ocasião, o vice-coordenador do GTTrem, Jonny Klemperer, destacou que a assinatura do termo de cooperação será um grande passo para a reativação da ferrovia.
De acordo com o projeto, toda a parte de infra-estrutura da ferrovia, como a instalação dos trilhos e viadutos ficará a cargo do governo do estado. As prefeituras de Petrópolis e Magé ficarão responsáveis pela regulamentação fundiária e revitalização da área, projetos que serão custeados com recursos provenientes do Programa do Governo Federal, Minha Casa, Minha Vida. A execução do projeto requer investimentos da ordem de R$ 70 milhões, para obras de infra-estrutura, retirada de moradores, revitalização e a compra de trens.
Inaugurada em 1883, com as presenças do imperador Dom Pedro II e do Barão do Rio Branco, a Ferrovia Príncipe Grão Pará funcionou durante 81 anos, sendo desativada em novembro de 1964.
Fonte: Tribuna de Petrópilis

domingo, dezembro 12, 2010

sábado, dezembro 11, 2010

Viagem cada vez mais demorada

Mais de 1,1 milhão de veículos pesados trafegam pela rodovia BR-040 entre os trechos do Rio de Janeiro e Juiz de Fora – do total de 2,1 milhões de veículos que passam pelo trecho por mês. Em função do trânsito intenso agravado pelos pontos de alagamento, deslizamentos de terra nas pistas de subida da serra e as carretas constantemente tombadas, a viagem entre Petrópolis e o Rio de Janeiro tem se tornado cada vez mais demorada. No último domingo, por causas das fortes chuvas que atingiram todo o estado, os ônibus que saíram do município às 19h só chegaram ao seu destino final na capital à 1h30.
O estudante Bernardo Silva é um dos milhares de petropolitanos que mora em Petrópolis mas todos os dias desce e sobe a Serra para trabalhar no Rio de Janeiro. Segundo ele, os pontos de alagamento na capital fazem o tempo da viagem maior. “Normalmente, embarco no ônibus das 6h30 e antes das 9h estou no centro do Rio, mas na época das chuvas fortes sou obrigado a adiantar em uma hora o meu embarque para muitas vezes ainda chegar atrasado ao trabalho. Para voltar é ainda pior, saio do Rio às 18h e só chego em casa depois das 21h. Acredito que esse transtorno seja em função da queda de pequenas barreiras na subida da serra, deixando o tráfego em meia pista. Já em Petrópolis, os alagamentos me impedem de chegar em casa”, contou.
Apesar das reclamações dos usuários dos ônibus fretados, os quais transitam pelo Centro Centro Histórico para o embarque e desembarque dos passageiros, devido aos atrasos durante o percurso, no Terminal Rodoviário Leonel Brizola, no Bingen, ainda não foi registrada nenhuma reclamação. “Durante o verão do ano passado, tivemos muitos problemas com o atraso no percurso devido às enchentes e alagamentos na capital, mas neste ano ainda não contabilizamos queixa de nenhum passageiro por conta do atraso no percurso”, disse o supervisor da rodoviária, Fábio Henrique dos Santos.
De acordo com o gerente administrativo da Única, José Antônio Peixoto, a chuva forte é a principal causa de acidentes na rodovia, o que acarreta em retenções no tráfego e consequentemente acréscimo no tempo da viagem. “Com a tempestade do último domingo, quem saiu de Petrópolis às 19h em direção ao Rio de Janeiro só chegou depois da 1h30 em função dos pontos de alagamento. Os acidentes na Serra, Washington Luís, Avenida Brasil e Linha Vermelha também aumentam no período das chuvas. Na serra, os tombamentos de carretas e a demora da Concer em liberar totalmente a pista é o que mais atrapalha o tráfego. Outro dia, a pista demorou quase cinco horas para ser liberada”.
A assessoria da Concer informou que a reclamação sobre a liberação da pista após o tombamento de carretas não procede. “Em qualquer ocorrência do gênero, a Concer mobiliza todos os recursos necessários para, inicialmente, atender eventuais vítimas e restabelecer o fluxo do tráfego, mesmo que em caráter parcial. Em seguida, ou mesmo simultaneamente, adota os procedimentos para a desobstrução e limpeza total da pista. Entretanto, esse tipo de ação também depende da Polícia Rodoviária Federal e do acionamento da transportadora responsável pelo veículo acidentado, além da seguradora do mesmo, para o serviço de transbordo de carga”. Mas, admitiu que há situações mais complexas, como a da carreta que transportava óleo lubrificante e que tombou recentemente na subida da Serra de Petrópolis, derramando parte da carga na pista. “Nesse caso, o tempo de desobstrução total da pista foi um pouco maior em razão do tipo de carga que vazou na pista”.
Fonte: Tribuna de Petópolis

sexta-feira, dezembro 10, 2010

Debate sobre a duplicação da BR-040

A Secretaria de Planejamento e Urbanismo convidou ontem a sociedade para a reunião extraordinária do Comcidade (Conselho Municipal da Cidade) que contará com a presença do presidente da Concer, Pedro Johnson, para tratar da duplicação da BR-040. A reunião está marcada para segunda-feira, dia 13 de dezembro, às 18h30, no auditório do Centro de Capacitação Frei Memória.
Durante a reunião, os membros do conselho e a população terão a oportunidade de conhecer o projeto para a BR-040. As obras estão previstas para começar em março de 2011 e terminar no fim do ano de 2013. O projeto prevê a construção de um túnel de aproximadamente 5Km, que irá reduzir a viagem em 20 minutos.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

quinta-feira, dezembro 09, 2010

Obra fecha acesso à Manga Larga

Famílias que moram nas comunidades Manga Larga e Ribeirão Grande, às margens da BR-040, na altura do Km-59, vêm enfrentando transtornos nos últimos dias por conta do fechamento do acesso que liga a Estrada União e Indústria à Rodovia Rio/Juiz de Fora. Com a via de acesso à BR fechada, mais de 100 moradores que utilizam diariamente os coletivos das linhas Vila Rica ou Fagundes para sair e voltar pra casa precisaram fazer parte do percurso a pé, porque os coletivos não estão passando pela BR-040.
“Moradores da BR-040, nas proximidades do Arranha-Céu, até a altura da Mercedes, assim como a comunidade Ribeirão Grande, tiveram que andar de um a dois quilômetros a pé, embaixo de chuva nestes dois dias, porque o ônibus não está passando por lá desde que o acesso foi fechado”, conta a presidente da Associação de Moradores Morada Nova, Vanda Pinho Faria Botelho.
Segundo ela, com a mudança, os ônibus que passavam pela comunidade agora seguem até Pedro do Rio, prejudicando os moradores. “Eles poderiam colocar os ônibus passando por Bonsucesso ou então permitindo a passagem pela ponte do Arranha-Céu, que antes funcionava em esquema de mão dupla. Da forma como fizeram, está muito ruim, porque as pessoas precisam andar a pé, embaixo de chuva, pela BR-040. Temos muitas crianças, pessoas idosas, moradores que fazem compras e estão tendo dificuldade para voltar pra casa, além das pessoas que trabalham fora. As pessoas ficam com medo, principalmente aqueles que precisam voltar pra casa à noite”, comenta a presidente da associação.
Moradora da Estrada do Ribeirão Grande, Ana Cristina Ribeiro precisou voltar pra casa caminhando, ontem, e ficou revoltada com a situação. “Eles não tiveram um pingo de consideração com a população, parece que se esqueceram que ali existe um número grande de moradores que dependem do transporte coletivo. Estou indignada, isso é um desrespeito com as pessoas. Hoje eu tive que ir a pé do terminal de Itaipava até em casa. Eles dizem que é uma obra rápida, mas esquecem que as pessoas dependem do transporte pra trabalhar, as crianças precisam pra ir à escola. As crianças estão tendo que caminhar pela BR-040, às margens de uma pista de alta velocidade, enfrentando um risco absurdo”, critica.


Proposta de mão dupla na ponte do Arranha-Céu

Ana Cristina também acredita que uma alternativa viável seria a implantação temporária de um esquema de mão dupla na ponte do Arranha-Céu. “A ponte do Arranha-Céu já funcionou em esquema de mão dupla e eles poderiam retomar essa idéia, mesmo que provisoriamente, com a orientação de um guarda ou agente de trânsito no local. Eles colocaram um guarda lá somente para multar. O que estão fazendo é um total desrespeito com os moradores, não houve qualquer planejamento”, afirma Ana Cristina.
O problema foi comunicado à Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes, que se comprometeu a tomar providências. “O que nós queremos é que alguma providência seja tomada para que os moradores tenham transporte”, acrescenta.
Questionada sobre o assunto, a CPTrans informou que solicitou a passagem do ônibus por Bonsucesso e que o interventor da viação Autobus informou que vai providenciar essa passagem por Bonsucesso. Sobre o andamento da obra, que tinha previsão de ser concluída em dois dias, a assessoria de imprensa da Concer informou que trata-se de uma situação temporária, de curtíssima duração, com previsão de ser concluída amanhã, se não chover.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

quarta-feira, dezembro 08, 2010

Aumento da passagem gera protestos

No primeiro dia útil após o aumento da tarifa da passagem dos ônibus em mais de 13%, para R$ 2,50, a medida continua desagradando aos usuários do transporte público do município. As constantes quebras e atrasos nos horários das linhas dos veículos são as principais queixas da população. No Vale das Videiras, dois coletivos quebraram durante a manhã de ontem. A linha 602 – Bairro x Terminal Corrêas – perdeu o freio enquanto descia a ladeira, próximo à localidade do Malta, e poderia ter causado um grave acidente. O motorista foi obrigado a jogar o automóvel em uma vala para conseguir para-lo. Apesar do ônibus estar lotado, ninguém se feriu.
A moradora do Vale das Videiras, Margarete Trindade, contou que os veículos que trafegam pela região apresentam problemas na mecânica há mais de seis meses. “O ônibus que cobre a linha 605 – Vale das Videiras x Terminal Itaipava parou no meio do caminho por volta das 7h20 porque o carro ferveu. Logo em seguida aconteceu esse outro problema”, contou. Segundo a doméstica, se o coletivo estivesse a uma velocidade maior não teria conseguido estacionar a tempo de evitar um acidente. “Estamos sempre com o coração na mão dentro desses ônibus velhos que já deveriam ter saído de circulação. Minha filha de 18 anos estava indo estudar e minha irmã trabalhar, poderia ter perdido as duas por causa do descaso do governo municipal com o povo daqui”, acrescentou Margarete.
Em função das constantes quebras dos veículos, agravadas no último mês, aliado ao aumento da passagem dos coletivos, a população já organiza uma manifestação.
Não apenas nesta localidade há reclamações dos petropolitanos que utilizam diariamente o transporte coletivo. Em Araras não houve o horário das 7h50 do veículo que faz a linha 610 – Bairro x Terminal Corrêas. Também faltou o executivo das 8h15 que cobre a linha 601 – Araras X Centro. A situação atrapalhou quem ia trabalhar Atrasos foram registrados também no Independência, o que causou irritação aos usuários. “Cortaram o ônibus que fazia o horário das 8h30, se perdermos o ônibus que passa às 8h10, só 30 minutos depois terá outro. Se não bastasse isso, hoje (ontem) ainda faltou o coletivo que cobre a linha 409 – Cacilda Becker x Centro das 8h40. É muito desrespeito com os cidadãos”, falou a estudante Marcella Silva.
Para costureira Maria Nazaré, em vista do caos que atravessa o sistema de transporte público de Petrópolis, o aumento da passagem de ônibus foi abusivo. “Sou autônoma, vou gastar R$ 0,60 a mais por dia para sair e voltar para casa, mas o meu lucro não foi reajustado na mesma proporção. Sem contar que a distância da grande maioria dos bairros para o Centro é muito curta para justificar os R$ 2,50. No Rio de Janeiro trafegamos longos percursos e pagamos no máximo R$ 2,40. Junto a tudo isso ainda tem os ônibus quebrados, que deixam os passageiros a pé por toda a cidade”, afirmou a moradora do Dr. Thouzet.


Vereador quer abertura de CPIM hoje

O líder do PV na Câmara Municipal, vereador Thiago Damaceno, confirmou que vai apresentar hoje a proposta de abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito Municipal (CPIM) para investigar as medidas tomadas pela Governo Municipal com relação ao transporte público da cidade. “Ao ver o Diário Oficial do Município do dia primeiro de dezembro, onde apresenta a planilha de cálculo tarifário, tive a certeza de que precisamos investigar como tudo está acontecendo, pois há itens que precisam ser esclarecidos pela Prefeitura, não bastando apenas publicar no Diário Oficial”.
O líder do governo, vereador Wagner Silva (PPS), voltou a se manifestar contra o aumento, reforçando o coro dos insatisfeitos com as medidas tomadas pelo prefeito Paulo Mustrangi ao aumentar a passagem para R$ 2,50. O vereador lembrou que a inflação acumulada para 2010 é de 5,40%. “Agora, uma pessoa que vá trabalhar durante o mês de dezembro, onde muitos terão horários estendidos, inclusive aos domingos, gastará só com passagem R$ 72,50, o que corresponde a aproximadamente 16% do salário mínimo”, afirmou o líder do governo, que aguarda o resultado da ação movida por ele na Justiça, pedindo a suspensão do aumento.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

terça-feira, dezembro 07, 2010

segunda-feira, dezembro 06, 2010

domingo, dezembro 05, 2010

sábado, dezembro 04, 2010

Pacote de obras para a Estrada do Gentio

A Prefeitura de Petrópolis, por meio da Secretaria de Obras, está finalizando a primeira etapa da obra de construção de rede de drenagem na Estrada do Gentio, em Itaipava. A intervenção consiste em melhorar a captação de águas pluviais em um trecho de aproximadamente 150 metros, onde a cada chuva forte os moradores sofriam com uma enxurrada de água e lama. A expectativa é de que nos próximos cinco dias o trânsito no trecho seja liberado para o período festivo.
A obra da Estrada do Gentio está sendo executada em quatro etapas: construção de rede para a captação de águas pluviais na meia encosta; rede de captação na beira do Rio Santo Antônio; e duas etapas de manilhamento no meio da rua, com a criação de ramais de captação de águas e ampliação do sistema atual de drenagem.
Nos próximos cinco dias, os trabalhadores deverão concluir um trecho do manilhamento no meio da via, que está ocasionando a interdição da pista. Para que a linha de coletivo possa voltar a circular no trecho durante as festas de final de ano, assim como outros veículos, os trabalhos serão direcionados para as etapas de captação de águas na encosta e na construção do trecho próximo ao Rio Santo Antônio. Ambas as etapas não vão atrapalhar o tráfego de veículos no local, assim as obras não sofrerão interrupção.
No início de janeiro, será retomada a ampliação da rede localizada no meio da via. Ainda não há previsão de conclusão total da obra, já que o tipo de trabalho depende do clima.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

sexta-feira, dezembro 03, 2010

Passagem sobe para R$ 2,50 a partir de domingo

Um decreto do prefeito Paulo Mustrangi, do dia 29/11, publicado nesta terça-feira (30/11) no Diário Oficial, reajusta as tarifas dos serviços de transporte coletivo da cidade. A tarifa que atualmente é de R$ 2,20 vai subir para R$ 2,50, a partir deste domingo (5/12).
O aumento teve como base o artigo 22 da lei 6.090 de 2004 e na Lei Orgânica em seu artigo 178.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

quinta-feira, dezembro 02, 2010

Desrespeito de motoristas à sinalização de trânsito irrita moradores de Corrêas

As irregulares no trânsito ao redor da Praça de Corrêas parecem não ter previsão para acabar. Apesar do movimento de carros e ônibus ser intenso durante todo o dia, falta a presença de um guarda municipal e sinalização no local. Os pedestres são obrigados a embarcar nos coletivos no meio da via, em função do estacionamento ilegal no espaço demarcado para pontos de ônibus, e até mesmo a ponte é usada para este fim. Há ainda a parada de veículos em fila dupla, responsável pelos congestionamentos na região. Os moradores e comerciantes reclamam também da ausência de um rotativo pela Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes (CPTrans) para coibir a utilização das vagas como vitrine para a venda de automóveis.
No local passam todos os dias 21 linhas de ônibus que fazem em torno de 750 viagens, transportando 21 mil usuários, o que torna o tráfego intenso. Para tentar amenizar o nó que é formado no trânsito da via, a Associação de Moradores e Amigos de Corrêas realizou uma reunião junto ao presidente da CPTrans, Orlindo Pozzato, no dia 18 deste mês, para cobrar melhorias no trânsito do local. “A nossa queixa principal é a falta de um estacionamento rotativo porque muitas pessoas deixam o carro aqui na praça e vão para o Centro e até mesmo para o Rio de Janeiro trabalhar. Isso prejudica muito o comércio porque faltam vagas para os clientes. Outra questão que deve ser rapidamente resolvida é a utilização do espaço como agência de automóveis a céu aberto”, contou o presidente da Associação de Moradores e Amigos de Corrêas, Sérgio Ramos Mattos.
Durante o encontro, a CPTrans assegurou aos moradores que o órgão começaria os trabalhos na semana passada, o que não aconteceu. “O presidente da CPTrans prometeu a troca do local do ponto de ônibus da Praça de Corrêas para depois da ponte, em frente à Escola Municipal Professor Josemar Contage, demarcação de vagas de carga e descarga, criação de uma área específica para o estacionamento de motos, implantação de um rotativo, além de rondas pela Guarda Municipal, e tenho certeza que tudo isso será cumprido”, acrescentou Sérgio.
Enquanto nenhuma medida de melhoria é adotada pela prefeitura, os pedestres que utilizam o transporte público são os mais prejudicados. “Os motoristas estacionam no ponto de ônibus sem o menor pudor e isso já acontece há anos porque não há fiscalização. A presença de um guarda multando esses infratores inibiria a atividade. Sou obrigado a esperar o ônibus no meio da rua, com um bebê de colo e mais uma criança pequena. É um absurdo”, falou o morador Bruno Rodrigues.
O estudante Frederico da Fontes, de 14 anos, chegou a ser atropelado enquanto aguardava o coletivo para o Bonfim. “Estudo no Colégio Padre Correia, moro no Bonfim e todos os dias sou obrigado a ficar no meio da rua, esperando o ônibus. Outro dia, a confusão de carros e pessoas estava grande e, como o ônibus tenta estacionar bem no cantinho para não atrapalhar o trânsito, acabou passando por cima do meu pé”.
A CPTrans informou, por meio da assessoria de comunicação, que as intervenções foram iniciadas na última sexta-feira, dia seguinte da aprovação do projeto feito em conjunto com a companhia, moradores e comerciantes da região, com a instalação da nova sinalização. A entidade lembra ainda que os participantes da reunião foram informados das medidas que serão tomadas em curto, médio e longo prazo na região e que o trabalho acabou prejudicado nos dias de chuva.
Como medida a ser implementada em curto prazo, foi acordada a realocação de dois pontos de ônibus, com a estrutura necessária: as linhas sentido Bonfim farão o embarque e desembarque de passageiros na Rua Agostinho Goulão, em frente ao Shopping Plaza. Já os ônibus com destino à Nogueira terão ponto instalado na Rua Castro Alves, próximo à Escola Municipal Josemar Contage. Essa medida vai facilitar o acesso dos estudantes ao transporte coletivo e também desafogar o trânsito na Praça de Corrêas.
No espaço do ponto de ônibus, como em boa parte da praça, serão feitas as demarcações de vagas de embarque e desembarque, de estacionamento, incluindo reserva para idosos e deficientes, e duas áreas para carga e descarga – em frente ao Mercadinho Corrêas e outra no fim do ponto de táxi. O local de parada das kombis para frete também será realocado e passará a funcionar na Rua José Cândido.
Devido à CPTrans não ter controladores suficientes, o rotativo passará a funcionar apenas no próximo ano, enquanto isso, um agente de trânsito fará a ronda pelo local e arredores. Como projeto de médio a longo prazo, em parceria com a Secretaria de Obras, será aumentado o espaço físico da Praça de Corrêas e realizado projeto de uma nova ponte de acesso a Corrêas, para que após as intervenções na atual ponte a localidade tenha um acesso de entrada e outro de saída de veículos.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

quarta-feira, dezembro 01, 2010

Antibióticos, agora, só tendo receita médica

Desde domingo, está em vigor a nova resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que proíbe a venda de antibióticos sem a apresentação da prescrição médica. Além da exigência, a receita deve ter duas vias, e uma delas ficará retida na farmácia ou drogaria. Para o pediatra e infectologista Paulo César Guimarães, a determinação tem como finalidade impedir o uso descontrolado do medicamento, que pode levar a efeitos colaterais e à infecção por bactérias mais agressivas.
“Infelizmente, as pessoas estão acostumadas com a automedicação. Nem todas as inflamações ou infecções são causadas por bactérias, então não adianta ingerir antibióticos. Além da medicação não fazer efeito, ainda vai prejudicar a saúde do paciente”, informou.
Existem nove classes de antibióticos e mais de sete mil tipos, entre similares, genéricos e de marca, mas a regra vale para 93 tipos de substâncias que compõem todos os antibióticos registrados no Brasil, como amoxicilina, azitromicina, cefalexina e sulfametoxazol, algumas das mais vendidas no país. Estão de fora da lista os usados exclusivamente em hospitais. Com a venda mais rígida, a Anvisa quer evitar o uso indiscriminado de antibiótico pela população e conter o avanço dos casos de contaminação por superbactérias, como a KPC, bactéria que causou surto de infecção hospitalar em diversos estados brasileiros. “O uso de antibióticos modifica a flora bacteriana e a sua recuperação total demora cerca de dois anos. Essa flora é responsável pela defesa do organismo e se não estiver completamente refeita o risco de contrair uma bactéria mais forte é grande”, comentou Paulo César Guimarães.
A nova determinação pegou alguns consumidores de surpresa. Elisabete Rosa Brand foi uma delas. Munida apenas da caixa de um medicamento, ela foi a três farmácias na manhã de ontem e não conseguiu efetuar a compra. “O remédio é para o meu marido. Ele sofre constantemente com infecções urinárias e toma este antibiótico há 15 anos. Sempre que está em crise é só ele que resolve. Não sei o que fazer. Vou ter que procurar um médico urgente”, comentou. Segundo a farmacêutica Elisangela Magrani, muitas pessoas desconhecem a resolução. “Apesar da divulgação da Anvisa, a determinação pegou muitos consumidores de surpresa, mas o maior problema é que algumas pessoas não entendem e acham que você não quer vender o remédio. Tentamos explicar que é medida é válida e para o bem do próprio paciente, mas mesmo assim eles não entendem”, comentou. Para o farmacêutico Marlon Brand, é preciso agora facilitar o acesso da população aos médicos. “Sabemos das dificuldades para marcar uma consulta, o que leva muitos pacientes à automedicação. Concordamos com a determinação da Anvisa, mas é preciso olhar o outro lado também”, alertou.
A resolução foi publicada pela Anvisa em outubro e as farmácias e drogarias têm até 30 dias para se adaptar. A prescrição médica para os antibióticos terá validade de dez dias e deverá estar em letra legível e sem rasuras. Além disso, precisa informar o nome do medicamento ou da substância prescrita sob a forma de Denominação Comum Brasileira (DCB), dosagem ou concentração, forma farmacêutica, quantidade e posologia; nome completo do paciente; nome do médico, registro profissional, endereço completo, telefone, assinatura e carimbo; identificação de quem comprou o remédio, com nome, RG, endereço e telefone; e data de emissão. Também no verso da receita, a farmácia deve anotar a data, quantidade e número do lote do remédio.
Apesar da resolução já estar em vigor, os medicamentos ainda não constam no cadastro de controlados da Anvisa. De acordo com o farmacêutico Marlon Brand, os remédios só farão parte do sistema em abril, até lá, apenas a receita ficará retida. “Cada medicamento controlado que é vendido deve ser lançado neste sistema. É um controle obrigatório da Anvisa e dos estabelecimentos”, informou. A resolução também prevê mudanças nas embalagens. No rótulo dos medicamentos contendo substâncias antimicrobianas deve constar, obrigatoriamente, na tarja vermelha, em destaque, a expressão: “Venda sob prescrição médica – Só pode ser vendido com retenção da receita”. A mesma frase deve constar em destaque na bula. Os fabricantes terão o prazo máximo de 180 dias para adequação quanto à embalagem, rotulagem e bula.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

terça-feira, novembro 30, 2010

PRF: acidentes com caminhões já são 205

Cansaço e excesso de velocidade. Estas seriam as principais causas do número de acidentes no trecho da Rodovia BR-040, que passa por Petrópolis. Em pouco mais de 11 meses, a Polícia Rodoviária Federal já havia contabilizado 205 casos envolvendo apenas veículos de carga, a maioria carretas e caminhões. No mesmo período foram registradas as mortes de quatro caminhoneiros, três deles apenas no mês de novembro.
A maioria dos acidentes foi registrada na pista de descida da serra, principalmente entre os Kms 90 e 99, cujo trecho é apontado com frequência por representantes da Associação Brasileira dos Caminhoneiros, como os pontos mais perigosos da estrada. Isso porque confunde os motoristas que ainda não conhecem a estrada já que passa a falsa impressão de que a descida já terminou.
Segundo estatística da Polícia Rodoviária Federal, os doze meses de 2009 contabilizaram um total de 225 acidentes envolvendo veículos de carga. A maioria também contabilizada no trecho entre os Kms-90 e 99. Naquele ano, a maior incidência foi registrada no mês de março, quando 29 ocorrências foram registradas. Logo atrás, o mês de agosto contabilizou 25 acidentes enquanto dezembro aparece em terceiro lugar no ranking.
Já em 2010, apesar do mês de novembro contabilizar o maior número de mortes, os meses de abril, julho e janeiro são os responsáveis pelo maior número de casos com, respectivamente, 28, 26 e 24 acidentes. Apenas entre os Kms-90 e 99, em 2010, já foram registradas 88 ocorrências, entre elas se destaca o tombamento de uma carreta de silício – matéria prima para a fabricação de chips eletrônicos -, na altura do km 92 da pista de descida, sentido Rio de Janeiro. Este aconteceu na madrugada da última quarta-feira e causou a morte do motorista Rodrigo Linhares, de 35 anos, o qual ficou preso nas ferragens.
Mas, a série de acidentes envolvendo carretas e caminhões foi aberta no dia dois de novembro. A vítima foi o motorista Divino Joaquim de Oliveira Júnior, de 27 anos, que morreu esmagado pelas ferragens do caminhão que dirigia, no km-68 da pista sentido Juiz de Fora. Dois dias depois, um caminhão frigorífico carregado com laticínios despencou de uma ribanceira na altura do Km-72 da pista de descida. A carga de iogurte e manteiga foi toda saqueada deixando um prejuízo de R$ 70 mil. Apesar de ter caído de uma altura de aproximadamente 10 metros, o motorista Darci Sérgio, de 45 anos, saiu ileso. A mesma sorte não teve o motorista Reylli Silva, de apenas 28 anos. Ele dirigia um caminhão carregado com 30 toneladas de cobre, que tombou no viaduto em frente à rodoviária do Bingen.
Porém, para a Polícia Rodoviária Federal, são três os fatores responsáveis pela maioria dos acidentes: falta de descanso, excesso de velocidade e falta de manutenção dos veículos. “Juntos, esses três pontos se transformam em verdadeiras armas. Muitos motoristas preferem dormir pouco e acelerar para garantir a entrega da carga dentro do prazo. Além disso, com essa agilidade conseguem um maior número de cargas e os acidentes são as consequências da pressa”, opina o policial rodoviário Erlei Molter.
Para o policial, os motoristas, principalmente os caminhoneiros, têm que ter consciência na hora de descer a serra. “Muitos descem a serra carregados e não usam o freio motor. Utilizam apenas o pedal, o que pode fazer com que a lona de freio superaqueça e não suporte. Já vi casos das rodas pegarem fogo”, completa.
Mas, para o caminhoneiro Jorge Lisboa, representante da Associação Brasileira dos Caminhoneiros, a falta de sinalização e má conservação da estrada também contribuem para a ocorrência de acidentes. “Entendo que alguns motoristas abusam, porém, já vi acidentes com pessoas responsáveis. Na minha opinião, falta manutenção e sinalização, principalmente na descida da serra”, diz, salientando que o número de ocorrências no trecho entre os Kms-90 e 99 serve apenas para provar o que ele já vem alertando à Concer – concessionária que administra a rodovia - “Esse trecho é traiçoeiro pois faz com que o motorista acredite que terminou de descer a serra e, de repente, é surpreendido por novo declive. Acaba perdendo o controle da direção e o tombamento é inevitável”.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

segunda-feira, novembro 29, 2010

domingo, novembro 28, 2010

Papai Noel dos Correios em busca de patrocinadores

Adote uma cartinha e faça a alegria de uma criança neste Natal. Estão disponíveis, até o dia 8/12, na Agência Central dos Correios de Petrópolis, cerca de 200 cartinhas endereçadas a Papai Noel que podem ser adotadas, para que os pedidos sejam atendidos. Aqui chegam cartas de Petrópolis, Teresópolis e Três Rios. Neste ano, o projeto Papai Noel nos Correios, criado em 1997, está vinculado ao Objetivos de Desenvolvimento do Milênio – Educação básica de qualidade para todos e à política de Responsabilidade Social da ECT, sendo assim está direcionado somente a alunos da rede pública de ensino, especialmente de escolas em áreas de vulnerabilidade social. Estão sendo priorizadas cartas escritas por crianças de até 10 anos, que estejam cursando até a 4ª série do Ensino Fundamental, com pedidos de brinquedos, roupas e material escolar. As escolas estão atuando no sentido de desenvolver nas crianças a habilidade da redação de carta, orientando sobre a importância do endereçamento correto, do uso do CEP e do selo postal. A previsão é de que todos os presentes estarão entregues até o dia de Natal. Até agora, somente cerca de 40 cartinhas receberam promessas de adoção. Entretanto, mesmo as crianças que não tiverem suas cartinhas adotadas vão ganhar ao menos uma resposta. Elas vão receber uma cartinha especial do Papai Noel.
“Quem quiser pode ler a carta, escolher. Nós até temos uma relação dos pedidos que estão nos conteúdos das cartas, passamos para o computador. Mas sabemos que tem gente que gosta de ler, ter um contato com a criança.”, explicou Sheila Reis Goettnauer, coordenadora de vendas da Região Serrana.
Os presentes devem ser novos, atender às solicitações de cada criança e entregues aos Correios devidamente embalados para o transporte postal.
Segundo informou a instituição, através da assessoria de imprensa, no ano passado o projeto Papai Noel dos Correios mobilizou mais de um milhão de correspondências em todo o Brasil. No Estado do Rio de Janeiro, os Correios receberam mais de 13 mil cartas, sendo que cerca de 9 mil foram adotadas pela população.
“Esse trabalho começou com os próprios funcionários dos Correios, que se sensibilizavam com as cartas das crianças. Hoje já ganhou proporções bem maiores”, contou Sheila.
A agência dos Correios funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h30.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

sábado, novembro 27, 2010

Petrópolis Gourmet bate recorde de público a um dia do encerramento

Termina hoje a décima edição do Petrópolis Gourmet, e seus organizadores já comemoram. Até agora, o evento já recebeu mais de 12 mil pessoas, o que supera a expectativa inicial de público, que era de 10 mil visitantes. Isso sem contar a movimentação dos restaurantes e hotéis que participaram do festival, que começou no dia 28 de outubro. O Petrópolis Gourmet reuniu chefs da gastronomia local, nacional e internacional. Os 28 restaurantes participantes, juntos, conseguiram comercializar cerca de 1200 menus, que eram oferecidos no valor médio de R$ 69, gerando um total de R$ 82.800.
“O evento superou as expectativas, alcançou todos os objetivos, principalmente na geração de fluxo turístico no período em que foi realizado, bem como os objetivos sociais, que foram o Gourmet nas Comunidades e o Concurso Cultural Gastronômico. A palavra que reflete o festival é sucesso”, declarou Flávio Câmara, presidente do Petrópolis Convention & Visitors Bureau, que organizou o evento.
Foram 21 expositores funcionando nos estandes do Mercado Gourmet, tenda montada ao lado do Hortomercado de Itaipava, que recebeu uma movimentação diária de cerca de 600 pessoas: Artesanato Petrópolis, Uniarte, Artesanato Cidade Imperial, Artesanato Vila Rica, Artesanato Jenne, Etc & Arte, Pimentas e Sabores, Armazém Sustentável, Mel, Doces Variados, Pão de Mel, Marie & Anne Chocolate, Folheado Colonial, Rudá Orgânicos, Casa Pellegrini, Homem da Montanha, Mudas Katsumoto, Sítio Solidão, Baselog e Sítio do Moinho (orgânicos). As 43 oficinas do Mercado Gourmet receberam em torno de 40 pessoas por dia. Nas outras 15 do Xodó de Minas, onde o espaço é menor, a frequencia foi de 15 pessoas por dia. O Gourmet nas Comunidades, que levou oficinas para Posse, Alto da Serra e Nogueira, também foI sucesso. Nos cinco dias de atividades, só o Alto da Serra recebeu 300 pessoas, 60 por dia. No total, foram mais de 2.500 pessoas participando das oficinas.
Gostaria de agradecer ao Ministério do Turismo, ao Senac Rio, à Fase, à Cervejaria Bohemia, aos chefs, equipe de produção e aos demais apoiadores que acreditaram e garantiram a repercussão de mídia de Petrópolis para o Brasil e América do Sul. Foi o primeiro ano em que nós recebemos jornalistas do exterior para fazer exclusivamente a cobertura do evento que vem a traduzir a importância deste festival no cenário nacional. Esperamos que no ano de 2011 consigamos uma estrutura fixa, tendo em vista a falta de espaço para a realização de eventos desse porte no município”, disse Flávio.
Quem se interessar, ainda tem vagas para as últimas oficinas e workshops. Confira a programação e se inscreva pelo site www.petropolisgourmet.com.br.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

sexta-feira, novembro 26, 2010

Idosos podem pedir parcelamento de débitos com IPTU de 2009 e 2010

Faltando apenas 35 dias para terminar o ano e também o prazo para que os idosos possam se beneficiar com a redução de 100% das multas e juros relativos ao Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) de 2009 e 2010, a Secretaria de Fazenda do município, por determinação do prefeito Paulo Mustrangi, montou um esquema especial de atendimento de contribuintes que não pagaram o imposto referente aos anos citados por conta da lei de isenção dos idosos, aprovada pelo Poder Legislativo em 2008 e considerada inconstitucional pelo Poder Judiciário neste ano.
Os contribuintes têm até o dia 31 de dezembro para pedir o parcelamento do IPTU em até 30 vezes, com parcelas de, no mínimo, R$ 25 mensais. É importante ressaltar que a falta de pagamento de três parcelas consecutivas ou seis alternadas cancela o parcelamento, acarretando no envio imediato para a Dívida Ativa do município para ajuizamento da execução fiscal prevista na Lei nº 6.830/80.
O secretário de Fazenda, Hélio Volgari, explicou ainda que os contribuintes que decidirem realizar o pagamento em cota única ainda terão 10% de desconto sobre o débito. “Essa redução de 100% da multa e dos juros no parcelamento do débito vai auxiliar muita gente que quer ficar em dia com o município neste final de ano. Muitos aposentados e pensionistas receberão o 13º de seus benefícios e poderão requisitar o parcelamento de débito em até 30 vezes. O desconto de 10% na parcela única também é um atrativo”, comentou Volgari.
A isenção de 100% de juros e multas e o parcelamento em até 30 vezes foi a forma encontrada pelo prefeito Paulo Mustrangi de dar uma oportunidade para aqueles que deixaram de pagar o IPTU, por causa da tal lei de isenção dos idosos, de regularizar a situação tributária. “Os idosos que entraram com os pedidos de isenção na Secretaria de Fazenda não têm culpa de estar com seu IPTU atrasado. Eles deixaram de pagar o imposto depois da propaganda enganosa dessa lei, criada em ano eleitoral, e que muitos já sabiam ser inconstitucional. Com a decisão da Justiça, nada mais justo que conceder prazos e benefícios para que estes idosos possam estar em dia com o município”, declarou o prefeito.
Os idosos que não pagaram seu IPTU por conta de seus processos de pedido de isenção e que estiverem interessados em parcelar seus débitos relativos a 2009 e 2010 devem procurar a Secretaria de Fazenda (Rua 16 de Março, nº 183 , 2º andar), de 10 às 17 horas, no setor de cadastro imobiliário. Após este prazo, todos os inadimplentes serão incluídos na Dívida Ativa do município.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

quinta-feira, novembro 25, 2010

Policiamento reforçado na Rio-Petrópolis

Por conta da série de ataques que traficantes vêm promovendo nos últimos dias no Rio, o esquema de policiamento está sendo reforçado a partir de hoje em rodovias federais que cortam o Estado do Rio, como a BR-040 (Rio-Petrópolis- Juiz de Fora). Nos últimos dias, vários veículos foram incendiados em diferentes bairros da capital, em uma ação que, segundo a Polícia, está sendo orquestrada por traficantes em represália às Unidades de Polícia Pacificadora (UPP’s). Ontem de manhã, um veículo foi metralhado na pista sentido Rio da BR-040, na altura do Km-122. Dois homens morreram e um ficou ferido. De acordo com a Polícia, o caso não tem relação com a série de ataques que vem acontecendo no Rio e petropolitanos que passam diariamente pela rodovia não devem se alarmar.
“O que aconteceu aqui foi uma questão pontual. Não sabemos exatamente qual foi a motivação desse crime. Nada foi levado das vítimas e, ao contrário do que vem acontecendo no Rio, os bandidos não incendiaram o carro. As investigações da Polícia Civil vão apurar as causas desse duplo homicídio, mas o que podemos dizer nesse momento é que certamente esse ataque não tem qualquer relação com os outros casos. Os petropolitanos que passam por aqui diariamente não devem se preocupar”, afirmou o inspetor da Polícia Rodoviária Federal Erley Molter.
O inspetor frisa ainda que, a pedido do governador Sérgio Cabral, o ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, determinou que o esquema de policiamento seja reforçado nas rodovias. “A partir de agora a PRF terá mais policiais e viaturas atuando na BR-040, na Via Dutra, na Rio Magé, e também no acesso à Ponte. Na Rodovia Washington Luiz (BR-040), o esquema de policiamento será reforçado na Baixada. Teremos pelo menos mais 11 viaturas distribuídas nestes pontos. Além disso, um helicóptero com policiais da Divisão de Operações Aéreas também está chegando. Na quinta-feira, equipes do Grupo de Operações Especiais da RPF voltarão para o Rio. Teremos nestes primeiros dias o apoio de policiais de outras delegacias do estado, e na semana que vem policiais de outros estados também chegarão do Rio para reforçar o policiamento”, disse.
Os policiais que serão deslocados para o Rio fazem parte do Núcleo de Operações Especiais, que é formado por policiais rodoviários federais que estão acostumados a fazer intervenções em favelas e comunidades às margens das rodovia e a atuar em abordagens de risco.
O ataque ao veículo que resultou na morte de dois homens na BR-040 aconteceu por volta de 6h30. O Honda Civic vermelho com três ocupantes trafegava pela faixa lateral da pista sentido Rio quando, na altura do Km-122, foi alvejado por mais de 10 tiros. Um homem que estava no carona e outro que estava no banco de trás morreram no local. O motorista foi baleado em uma das mãos e no abdômen. Ele foi socorrido e levado para o Hospital Moacyr Carmo, na Baixada Fluminense.
Os corpos e o veículo permaneceram no local até a realização da perícia. Após o trabalho do perito da Polícia Civil, os corpos foram removidos para o Instituto Médico Legal e o veículo foi levado para o pátio da PRF. O duplo homicídio foi registrado e está sendo investigado por policiais da 59ªDP.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

quarta-feira, novembro 24, 2010

Vereador quer infraestrutura em Itaipava

O vereador Gil Magno (PSB) está acompanhando as negociações para a abertura da ligação da Estrada do Catobira com a BR-040, conforme indicação apresentada por ele no ano passado na Câmara. Na avaliação do vereador, esta abertura é tão importante quanto o retorno feito em frente à Delegacia de Itaipava. “Outra obra importante para Itaipava é a duplicação da ponte de Bonsucesso e da ponte do Arranha-Céu”, comentou o primeiro vice-presidente da Câmara.
De acordo com o vereador, a duplicação das duas pontes foi feita através de indicações legislativas e encaminhadas ao Departamento Nacional de Infra-estrutura Terrestre (DNIT), à Concer e a todos os órgãos, nos três níveis de governo – federal, estadual e municipal. O vereador comentou que na semana passada aconteceu uma reunião dos moradores do terceiro distrito e discutiu-se um projeto para o comércio, para a indústria e para os moradores, “proposta esta que dependerá do aceite e compreensão dos comerciantes, pois vários shoppings terão que ceder parte dos seus estacionamentos”.
Segundo o vereador, o projeto inicial encontra-se em seu gabinete, à disposição das pessoas interessadas. Ele esclareceu que o projeto prevê passar uma estrada por trás de todo o comércio, ao longo da BR-040, entre estacionamentos, residências e fundos de comércios de Itaipava. “Esta iniciativa tem por objetivo resolver os constantes congestionamentos que ocorrem em Itaipava nos finais de semana e nos períodos de feriadão”.
O vereador contou que visitou a ciclovia que está sendo construída, uma luta que segundo ele começou em 2004 e foi pensada e analisada por vários segmentos da sociedade em Itaipava. Para o vereador, a atuação da Associação Mão Santa tem sido fundamental para a execução desses projetos.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

terça-feira, novembro 23, 2010

segunda-feira, novembro 22, 2010

domingo, novembro 21, 2010

Acidente prejudica tráfego nos dois sentidos da BR-040, em Pedro do Rio

As estatísticas relativas a tombamentos de carretas na Rodovia BR-040, no trecho que passa por Petrópolis, engrossam a cada semana. Ontem de manhã, mais um acidente aconteceu, desta vez na altura do Km-54 da pista sentido Juiz de Fora, na altura de Vila Rica, em Pedro do Rio. Neste, apesar do motorista Cristiano Melo Pereira, de 26 anos, ter ficado preso nas ferragens, sofreu apenas ferimentos leves mas teve que ser levado para o Hospital Santa Teresa, onde ficou internado, em observação.
A carreta que ele dirigia, uma Scânia branca, estava carregada com 25 toneladas de polietileno granulado, que se espalharam pela estrada, deixando o trânsito em meia pista. A carga havia saído do Rio de Janeiro, estava sendo levada para a cidade de Cabaçari, na Bahia, e está avaliada entre R$ 110 e R$ 120 mil. Não houve saque, mas agentes da Polícia Rodoviária Federal permaneceram no local até a carga ser transladada para outros dois caminhões.
De acordo com a Polícia, apesar de estar consciente o motorista não conseguiu explicar como o acidente ocorreu. Ele ficou por quase uma hora preso nas ferragens, até que as equipes da Concer, junto com o Corpo de Bombeiros, conseguiram serrar a lataria do veículo para fazer a remoção. Cristiano recebeu os primeiros atendimentos médicos ainda no local do tombamento.
As marcas de frenagem estão a quase 20 metros. A princípio, nos levantamentos preliminares, o motorista teria perdido o controle da direção pouco antes de entrar numa curva. Como não conseguiu recuperar a direção, o veículo foi de encontro ao guard rail. Antes, porém, tombou e se arrastou por alguns metros, até bater na mureta de concreto, onde parou. Outros motoristas que passavam pelo local pediram socorro à Concer e alguns ficaram no local para tranquilizar o motorista até a chegada do socorro.
O trânsito ficou prejudicado, já que, além do caminhão, mais da metade da pista foi tomada pelo polietileno. O trânsito teve que fluir pelo acostamento. Como parte da carga também caiu do outro lado da rodovia, o tráfego teve que fluir também em meia pista, mas sem retenção. A previsão era de que o veículo só fosse retirado do local no fim da tarde, depois que toda a carga fosse transladada para os outros dois caminhões da Concórdia Logística, responsável pelo veículo acidentado.
Por conta do acidente, caminhoneiros voltaram a criticar a falta de sinalização, principalmente em tal trecho, onde os acidentes já teriam se tornado comuns. Ontem, no local do tombamento, motoristas reivindicavam a instalação de, pelo menos, uma placa alertando que são altos os riscos de acidentes no trecho. “Este não é o primeiro que acontece, e se providências não forem tomadas outros irão ocorrer. Pessoas podem morrer”.
Com o objetivo de evitar novas interdições na estrada, a Concer abriu cinco novas frentes de obras de contenção de encostas na BR-040, principalmente na Serra de Petrópolis, em ambos os sentidos. Além destas, outras 15 contenções já foram iniciadas pela concessionária neste segundo semestre, em vários outros pontos da estrada. “O investimento torna mais seguro o trecho da rodovia sob administração da Concer, que vai do Rio de Janeiro a Juiz de Fora, em Minas Gerais, totalizando 180 quilômetros”, diz a nota enviada pela concessionária, a qual acrescenta ainda que “as novas obras acontecem em taludes existentes antes e depois do Túnel do Papagaio, nos Km-84 e 84,4 da pista de descida da Serra de Petrópolis. Na mesma pista, há outra intervenção no Km 82,5. Já na subida da serra, a contenção é realizada no Km-88. O trecho de Areal, próximo à segunda praça de pedágio da rodovia, também recebe o mesmo tipo de contenção. Nesses locais, o motorista deve ficar atento à interdição de acostamentos e, eventualmente, de uma das faixas”.
Das 15 estabilizações de talude iniciadas anteriormente pela Concer na BR-040, oito já estão concluídas: nos Km 62,1, 66,8, 69,5, 72,8, 78 e 94 (em Petrópolis) e Km 5,5 e 9,3 (Levy Gasparian). As demais intervenções ocorrem em Petrópolis (Km 70,7), Duque de Caxias ( Km 119), Areal ( Km 50,2), Simão Pereira ( Km 824,5 e 825,5) e Juiz de Fora ( Km 793 e 802). A meta é tornar a rodovia mais segura, especialmente diante dos efeitos das chuvas de verão.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

sábado, novembro 20, 2010

Obras para construção de passarela na área da Feirinha de Itaipava já começaram

Após o atraso no início da construção da passarela para pedestres em frente à Feirinha de Itaipava devido à existência de cabos de fibra óptica no local, as obras foram iniciadas no fim do mês passado pela Concer e estão em fase de fundação da estrutura, na pista sentido Juiz de Fora da BR-040. Desde 2004, os 390 expositores do polo de modas reivindicam a instalação da passarela para diminuir o número de atropelamentos e aumentar a segurança de quem atravessa a rodovia. A previsão é que as obras sejam concluídas até o fim de dezembro deste ano, devido à rapidez na montagem do equipamento, que tem a estrutura pré-moldada.
Para o administrador da Feirinha de Itaipava, Sérgio Luiz Costa, conhecido como Gtão, a construção da passarela é uma vitória dos comerciantes da feira, que há anos lutavam pela instalação do equipamento. “Já houve um caso de morte por atropelamento e vários sustos de pessoas atropeladas na rodovia devido à falta de segurança. Os funcionários que saem da feira à noite e precisam atravessar a BR-040 para pegar o ônibus do outro lado da pista serão muito beneficiados”, disse.
Com a medida, os comerciantes também acreditam no crescimento das vendas entre os petropolitanos que utilizam o transporte público.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

sexta-feira, novembro 19, 2010

quinta-feira, novembro 18, 2010

Bando rende motorista na Rio-Petrópolis e rouba carro

No início da noite da última segunda-feira, feriado pelo dia 15 de novembro, Proclamação da República, por volta das 18h45, um grupo de pelo menos seis homens armados com fuzis e pistolas pararam o trânsito na Rodovia Washington Luís (BR-040), na altura do Km-109. Os assaltantes roubaram uma Saveiro e pertences do motorista. Para facilitar a fuga, eles levaram também as chaves de dois carros que vinham atrás, com o intuito de atrapalhar o trânsito.
A nossa delegacia fica do outro lado, na pista de subida, mas bem na frente. Só que eles foram muito rápidos. Tudo aconteceu em cerca de cinco minutos. Eles então fugiram por dentro de Caxias e aí fica muito difícil de achar. Caxias é igual a um labirinto. Tem saída para todos os lados.”, explicou o inspetor da Polícia Rodoviária Federal, Erlei Molter. Os assaltantes abordaram a Saveiro na alça de retorno em direção ao Rio de Janeiro para quem vem de Magé pela Rio-Teresópolis. Posteriormente, no fim da noite, o carro roubado foi encontrado próximo à Reduc. O caso foi registrado na 60ªDP, nos Campos Elíseos.
Molter comentou ainda sobre a facilidade que as saídas da rodovia para Duque de Caxias apresentam para os bandidos. “Tínhamos que pensar em uma forma de reduzir as saídas para Caxias sem prejudicar a população. Isso iria reduzir bastante as rotas de fuga dos assaltantes”.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

quarta-feira, novembro 17, 2010

terça-feira, novembro 16, 2010

Justiça mantém ação de Wagner contra a Ampla

O vereador Wagner Silva (PPS) conseguiu liminar na Primeira Câmara Civil do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, contra a Ampla, por causa da cobrança de PIS e Cofins nas contas de energia elétrica.
O vereador na ação pede o fim da cobrança por entender que o pagamento deve ser feito pela Ampla e não pelos consumidores, como é feito hoje, já que a empresa repassa a cobrança para todos os seus clientes.
A decisão da Primeira Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro confirma que não se trata de discutir a questão dos tributos, mas sim o repasse do pagamento do PIS e do Cofins para os clientes, feito pela Ampla ao longo dos anos. O vereador “questiona o repasse indevido de tributos e não a incidência do imposto no serviço prestado” por entender que o pagamento do imposto deve ser feito pela Ampla e não pelos seus clientes.
O desembargador do Tribunal de Justiça, Fabio Dutra, decidi favorável ao vereador afirma que “matéria semelhante foi decidida pelo Superior Tribunal de Justiça, que teve como relator o Ministro Luiz Fux, ao analisar a legitimidade das concessionárias de telefonia, em ação que questionava a legalidade dos repasses de Cofins e PIS”.
O ministro do STJ afirma que há evidente ausência de interesse jurídico da Anatel neste assunto, uma vez que não há nenhuma manifestação da agência sobre o repasse das concessionárias aos seus consumidores dos impostos cobrados.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

segunda-feira, novembro 15, 2010

Concer recorre de decisão de prazo para melhorias

O juiz da 8ª Vara Federal do Rio de Janeiro determinou no dia 28 de setembro prazo de 30 dias para que a Concer promovesse reparos e melhorias necessárias para garantir a segurança dos usuários. A ação civil pública, que cita também a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), foi proposta em maio, pela Câmara de Vereadores. A Concer, concessionária que administra a BR-040, recorreu da decisão judicial. O recurso foi impetrado no Tribunal Regional Federal, no Rio, e está sendo analisado. Enquanto isso, os efeitos da liminar ficam suspensos.
“O juiz federal Iório Siqueira D’ Alessandri Forti entendeu a gravidade da situação, amplamente exposta pela mídia, que relata acidentes diários e reclamações constantes, e concedeu a liminar que pedimos. E a concessionária, que anuncia investimentos vultuosos na nova pista, se recusa a fazer o básico no traçado atual da estrada”, afirma Bernardo Rossi.
Na ação proposta, a Câmara de Vereadores aponta que além de trechos esburacados e mal sinalizados, existem pontos onde há riscos de deslizamentos, congestionamentos e falta de obras de infra-estrutura que causam insegurança aos usuários. A Justiça determinou a identificação, reparo e instalação de sinalização vertical e horizontal em todos os pontos da rodovia (no trecho sob concessão) que estiverem abaixo dos padrões de qualidade exigidos no contrato, assim como a colocação de telefones fixos de emergência.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

domingo, novembro 14, 2010

Nova pista de subida da serra

Responsável pelo acompanhamento no Ministério Público Federal do processo de licenciamento apresentado ao Ibama para a construção da nova pista de subida da Serra, a procuradora da República Vanessa Seguezzi frisou ontem que o projeto apresentado pela Concessionária responsável pela administração da BR-040 (Rio-Juiz de Fora), Concer, ainda está sendo analisado pelo órgão em Brasíla. A procuradora destacou que as formalidades atendidas até o momento pela concessionária fazem parte apenas do termo de referência, exigido para que o Ibama receba e avalie o projeto, o que não significa que todas as exigências necessárias para o licenciamento da obra já foram cumpridas.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

sábado, novembro 13, 2010

sexta-feira, novembro 12, 2010

Reativação da linha férrea mais perto da realidade a partir de quinta-feira

Na próxima quinta-feira, dia 18, acontecerá a solenidade de assinatura do Termo de Cooperação Técnica entre o governo do Estado do Rio de Janeiro e as Prefeituras de Petrópolis e Magé para a reativação da Ferrovia Príncipe do Grão Pará, que liga o Alto da Serra à Vila Inhomirim. Para o pesquisador ferroviário Antônio Pastori, a assinatura do termo dará uma maior dimensão ao projeto e será um passo importantíssimo para a reativação. “Este documento irá estabelecer as competências de cada um no projeto. O que deve ser feito pelo estado e pelas prefeituras”, comentou. Apesar de já ter data marcada, ainda não está confirmado o local e a hora da solenidade.
De acordo com Pastori, toda a infraestrutura da rodovia, como a instalação dos trilhos e viadutos, ficará a cargo do governo do estado, com um investimento estimado em R$ 30 milhões. Serão restabelecidos seis quilômetros da linha - quatro que ligam o Alto da Serra à Raiz da Serra e outros dois até Magé. Já as prefeituras – Petrópolis e Magé – ficarão com a regulamentação fundiária e a revitalização da área, projetos que serão custeados com recursos provenientes do Programa do Governo Federal, Minha Casa Minha Vida. “Estima-se que serão gastos R$ 20 milhões com a remoção das famílias e a construção das moradias. Esses recursos virão da união e os municípios não terão gastos”, disse. Ao todo o projeto deve girar em torno de R$ 70 milhões, contando com as obras de infraestrutura, retirada dos moradores, revitalização e a compra dos trens, este último, de acordo com Pastori, dependerá da quantidade e modelos escolhidos pela empresa que irá vencer a licitação. “Acredito que o investimento mínimo com a aquisição dos trens será de R$ 20 milhões”, ressaltou o pesquisador.
Segundo o secretário de Meio Ambiente, Luiz Eduardo Peixoto, ainda não há um projeto para a revitalização da área e nem a quantidade de famílias que deverão ser removidas e os trabalhos devem ter início após a assinatura do termo de cooperação. “Vamos formar uma comissão específica para realizar este levantamento. É importante ressaltar que iremos fazer um trabalho sócio-ambiental no local. Ensinando a comunidade a ter responsabilidade de preservação ambiental, aprendendo de uma forma sustentável a cuidar de toda área”, comentou o secretário.
De acordo com Pastori, as obras, assim que foram iniciadas, devem demorar dois anos e vão gerar 1500 empregos. “Quando a ferrovia estiver funcionando estima-se que serão criadas 200 novas vagas diretas e 500 indiretas, principalmente com o complexo turístico que será criado na parada do Meio da Serra. A intenção é que sejam instaladas lojas de artesanato e área de alimentação. Isso sem falar em um roteiro de ecoturismo que deverá ser implantado, com trilhas, rapel e montanhismo”, salientou. A previsão é que a linha férrea atenda mil pessoas por dia, cerca de 400 mil por ano. As passagens devem variar entre R$ 15 e R$ 25 e a viagem até Magé seria feita em menos de 30 minutos.
Durante os 81 anos de funcionamento (fevereiro de 1883 a novembro de 1964) a Ferrovia Grão Pará transportou em seus trens ilustres passageiros, que vinham para Petrópolis desfrutar do clima ameno. Em sua viagem inaugural marcaram presença Dom Pedro II, imperador do Brasil e o Barão do Rio Branco. Outros personagens da história brasileira também subiram a serra via trilhos, entre eles um garoto de 17 anos, que vinha a Petrópolis para jogar futebol: Garrincha, um futuro craque, que morava em Pau Grande, próximo à estação da Vila Inhomirim. Ele era juvenil do time da Companhia Têxtil América Fabril, onde trabalhava e disputava campeonatos contra o Petropolitano, Serrano e Cascatinha. Machado de Assis, Rui Barbosa, Oswaldo Cruz e outros nomes ilustres também subiram a serra através da ferrovia.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

quinta-feira, novembro 11, 2010

Prefeito quer que Concer assuma Estrada Parque

Com previsão de início em março de 2011, as obras de construção da nova pista de subida da BR-040 (Rio-Juiz de Fora), que será feita a partir da duplicação de 20 quilômetros da descida da serra e construção de um túnel com cinco quilômetros de extensão, é considerada por autoridades e entidades petropolitanas como fundamental, uma vez que o traçado da atual pista não comporta mais o fluxo intenso de veículos. Apesar de previsto para começar, o projeto de duplicação apresentado pela Concessionária que administra a BR-040 (Concer) ainda está sendo analisado pelo Ibama, em Brasília. De acordo com informações do Ministério Público Federal em Petrópolis, onde um procedimento foi instaurado para acompanhar os impactos ambientais da obra, a Concer atendeu todas as formalidades exigidas pelo Ibama, mas até o momento nenhuma licença ambiental foi expedida.
A execução do projeto tem pontos importantes que precisam ser discutidos e que dividem opiniões entre autoridades e representantes da sociedade petropolitana. O prefeito de Petrópolis Paulo Mustrangi avalia que a nova estrada é fundamental para o desenvolvimento da cidade, mas afirma que questões como o destino da atual pista de subida, que ao ser desativada deverá ser transformada em uma estrada parque, e a nova entrada da cidade, que desembocará na região do Duarte da Silveira, ainda precisam ser discutidas.
“A atual pista não comporta mais o volume de veículos que recebe. Com o novo traçado e o túnel, o trajeto ficará mais rápido e seguro, facilitando o acesso a Petrópolis. Isso é muito importante, levando em conta que teremos a Copa do Mundo em 2014 e as Olimpíadas em 2016. Alguns pontos, no entanto, precisam ser definidos. A Estrada Parque, por exemplo, é importante para a cidade, mas precisará de investimentos em infraestrutura, manutenção e fiscalização para evitar a degradação. Esse é um ponto crucial para nós. Vamos exigir que a Concer assuma essa responsabilidade pelo menos durante um certo período. Outro ponto que precisa ser discutido é a entrada da cidade pelo Duarte da Silveira. Além disso temos uma discussão sobre o impacto ambiental. Vários pontos precisam ser debatidos. A Prefeitura, os secretários e a sociedade têm que discutir esse assunto, todos têm que participar”, afirma Mustrangi.
Na mesma linha, o presidente da Câmara de Vereadores de Petrópolis, Bernardo Rossi, acredita que o assunto deve ser mais debatido e diz que a Concer precisa dar mais explicações aos petropolitanos. “É inegável que a construção de uma nova pista de subida é importante para a cidade, está prevista no contrato, mas é preciso um olhar mais atento. Não queremos inviabilizar o projeto, mas é necessário que haja uma discussão mais ampla sobre como ele será executado e que impacto vai ter sobre Petrópolis. Hoje, brigamos na Justiça para que a Concer faça melhorias nas pistas atuais e que ofereça o conforto que petropolitanos e usuários fazem jus pelo pedágio, um dos mais altos do país. Se no passado tivesse ocorrido um acompanhamento deste contrato a situação seria diferente. É isso que queremos garantir. A audiência pública realizada em setembro não satisfez os anseios da sociedade. É preciso que se avalie o impacto disso, tanto do ponto de vista ambiental como também econômico para a cidade ”, considera o presidente da Câmara de Vereadores, Bernardo Rossi. Deputado eleito, Bernardo diz que uma das primeiras ações na Alerj é convocar audiências com a Concer dando oportunidade para a sociedade conhecer e opinar sobre o projeto.
Presidente da comissão que faz a revisão do Plano Diretor, o também vereador Thiago Damaceno frisa que os petropolitanos estão preocupados. “Esse projeto traz benefícios com a ligação Bingen-Quitandinha, mas não houve espaço para discussão com a comunidade. A entrada da cidade passa a ser pelo Duarte da Silveira e isso muda o fluxo de viagens na cidade. O Bingen, onde está prevista a nova entrada, é um bairro residencial, que em termos de infraestrutura não está adequado”, disse Damaceno.
Representantes do comércio e da indústria destacam que o projeto trará benefícios para a economia da cidade. Entre estes está o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Petrópolis, Jésus Costa. “As condições atuais da estrada estão muito precárias. Essa obra vai beneficiar muito os petropolitanos. Essa construção já deveria ter sido feita há muito tempo, pois a BR-040 é uma via importantíssima para a economia da cidade e fundamental também para centenas de petropolitanos que passam por lá todos os dias”, afirma Jésus Costa.
Opinião semelhante tem o representante do Sindicato do Comércio e Petrópolis (Sicomércio) e da Associação de Lojistas da Rua Teresa, Marcelo Fiorini. “A sensação que eu tive ao ver o projeto na audiência pública foi de que essa obra significa uma revolução para a cidade. Ela vai encurtar a viagem, facilitar a chegada dos turistas, isso será muito positivo para o comércio e para a indústria, será um avanço”, avalia Marcelo Fiorini. Ele sugere também a restrição de horário para circulação de carretas. “Até o fim da obra, a Concer e a ANTT deveriam restringir a circulação de carretas, entre 17h e 22h, durante a semana; e de 8h às 14, aos sábados”, sugere Fiorini.
Também atento à importância da construção da nova via de acesso a Petrópolis, o presidente do Instituto Civis, Mauro Correa, também defende uma ampla discussão sobre o assunto. “Estamos muito preocupados, pois vários pontos precisam ser discutidos antes da aprovação deste projeto. Estamos preocupados com o adensamento que deverá acontecer em função da redução da distância e com a possível favelização da atual estrada depois de desativada, é preciso que se defina quem será responsável por ela, para evitarmos que ela se transforme em uma União e Indústria, que está abandonada, ou em uma Serra Velha da Estrela, que foi totalmente invadida e favelizada”, frisa Mauro Correa.
Também preocupado, o petropolitano Fernado Varela criticou a Concer e teme que a obra possa refletir no aumento da tarifa de pedágio. “Tenho muito receio quanto à Concer. A sociedade e o município precisam acompanhar muito bem essa situação, pois esse projeto terá forte repercussão na vida da cidade”, considera.
Fonte: Tribuna de Petrópolis