quinta-feira, dezembro 31, 2009

quarta-feira, dezembro 30, 2009

Chuvas fortes causaram dez colisões na BR-040

A previsão de chuva para a véspera de Ano Novo fez com que a Polícia Rodoviária Federal intensificasse ainda mais o trabalho que vem sendo realizado pela Operação Fim de Ano/Operação Saturno, prevista para terminar no próximo dia 3 de janeiro. Somente na segunda-feira, dia 28, a chuva forte provocou dez colisões nas pistas de subida e descida da serra, a BR-040. De acordo com o inspetor Delano Miranda, da PRF, não houve feridos e os acidentes foram de pequeno porte, a maioria referente a colisões traseiras. “Hoje (ontem) ainda não percebemos o aumento no fluxo de veículos, ou seja, o trânsito está normal. Apesar da chuva que assustou petropolitanos e cariocas, nenhum trecho da rodovia está interditado por deslizamento de terra”, explica o inspetor.
Para quem vai viajar no feriadão de fim de ano, Delano Miranda chama atenção quanto ao cuidado que se deve ter nas estradas, para evitar maiores complicações, e entre as orientações ele destaca que é preciso planejar a viagem, com revisão simples no veículo, observando sempre os pneus e os faróis para não ser surpreendido com algum tipo acidente. Já quanto à conduta do motorista, ele alerta para os perigos de ultrapassagens, principalmente em faixas contínuas. A PRF avisa que o período de chuva ocasiona derrapagens e acidentes que poderiam ser evitados se o motorista tomasse simples precauções.
Segundo a PRF, nas pistas de subida e descida da serra o trabalho está sendo feito com o apoio de agentes que foram deslocados de outras regionais da corporação para reforçar o efetivo do Rio. Entre outras medidas, os policiais trabalham com o radar móvel e todas as viaturas que fazem o patrulhamento da serra estão equipadas com os etilômetros. O número de viaturas empregadas no patrulhamento da rodovia não foi revelado por Miranda.
Estão previstas pancadas de chuva durante todo o dia 31 de dezembro, quando os termômetros devem ficar entre 19Cº e 24ºC. No primeiro dia de 2010 a temperatura fica ainda mais baixa, entre 18ºC e 21ºC. De acordo com as informações do site Climatempo, o panorama começa a mudar no sábado, quando o sol novamente aparece, apesar de ainda existir possibilidades de chuva. Para domingo a previsão é de sol com algumas nuvens.
Fonye: Tribuna de Petrópolis

terça-feira, dezembro 29, 2009

segunda-feira, dezembro 28, 2009

Detro fixa em 7% reajuste das tarifas de linhas intermunicipais

O Departamento de Transportes Rodoviários (Detro), atendendo determinação do governador Sérgio Cabral, não cede à pressão das empresas de ônibus, que reivindicavam índices entre 15% e 20%, e fixa em 7,05% a revisão tarifária das linhas de ônibus intermunicipais, que entrará em vigor a partir de 2 de janeiro. Para cálculo deste percentual, foram levadas em conta os custos com mão-de-obra e insumos e as exigências feitas pelo departamento, como instalação de GPS, câmeras e diminuição da idade máxima da frota. Os valores das novas tarifas serão publicados no Diário Oficial desta segunda-feira (28/12) e, nos próximos dias, poderão ser acessados pelo site www.detro.rj.gov.br.
Fonte: Diário de Petrópolis

domingo, dezembro 27, 2009

sábado, dezembro 26, 2009

Petrópolis: Estação Itaipava vence

Decoração iluminada do shopping foi a escolhida na cidade pelo júri do projeto 'Luzes da cidade'
O Estação Itaipava foi o escolhido para representar Petrópolis como fachada mais bonita no “Luzes da cidade”.
O projeto é uma parceria entre a Fundação de Cultura e Turismo de Petrópolis, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), o Sindicato do Comércio (Sincomércio) de Nova Friburgo, a prefeitura de Teresópolis e O GLOBO-Serra para escolher a melhor decoração de Natal de comércio ou residência de cada cidade serrana.
O espaço foi eleito com três dos cinco votos dos jurados de Petrópolis. O júri era formado pelo gerente de programação cultural Petro Troyack; o produtor cultural Arthur Varella; o presidente da Fundação de Cultura e Turismo da cidade, Charles Rossi; o presidente do Convention & Visitors Bureau, Flávio Câmara; e o chef Alessandro Barão, do restaurante Barão, de Petrópolis.

— A caracterização no espírito do “Natal da luz” foi ótima e feita com carinho. Dá para notar ao passar pelo shopping — afirma Troyack.
Fonte: O Globo Serra

sexta-feira, dezembro 25, 2009

quinta-feira, dezembro 24, 2009

Caminhão com carga de cerveja tomba na serra

Uma carreta que transportava uma carga de cerveja tombou ontem à tarde na subida da Serra de Petrópolis, causando um congestionamento na pista sentido Juiz de Fora da BR-040. O acidente aconteceu por volta de 17h, na altura do Km-99, distrito de Xerém, em Duque de Caxias. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, não houve feridos.
Parte da carga chegou a ser saqueada por populares. Equipes da Polícia Rodoviária Federal chegaram rapidamente ao local para tentar controlar a situação. Funcionários da Concer também foram deslocados para o local e por volta de 20h trabalhavam na limpeza da via.
O acidente deixou o trânsito em meia pista por mais de três horas. Com o trânsito liberado em apenas uma faixa, quem seguia em direção a Petrópolis precisou ter paciência para enfrentar a lentidão do trânsito, que resultou em um congestionamento que se estendeu por mais de quatro quilômetros. Até este horário não havia previsão para o destombamento do veículo e liberação total da pista.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

terça-feira, dezembro 22, 2009

Caminhão tomba e deixa motorista ferido no Km-90 da descida da serra

Falta de respeito à sinalização ou má conservação da estrada? Ainda não existe uma resposta para os constantes acidentes ao longo da serra de Petrópolis. Na manhã de ontem, um novo acidente aconteceu e, mais uma vez, o motorista do veículo saiu ferido. Ele está internado no Hospital de Saracuruna, na Baixada Fluminense.
Antes de ser levado ao hospital, o motorista não chegou a revelar como aconteceu o acidente, registrado pela Concer pouco depois das 10h. O veículo descia a serra e tombou na altura do Km-90 da Rodovia Washington Luiz. Não houve interrupção do fluxo do tráfego, já que o caminhão, um baú da Volkswagen, placa CYB-4265, saiu da pista e tombou no canteiro das margens da estrada.
De acordo com a Polícia, o acidente teria acontecido depois que o veículo saiu de uma curva. No local existem as marcas da freada do caminhão, que chegou a trafegar por alguns metros sobre o canteiro, bater num barranco e tombar antes de entrar no viaduto. Apesar da gravidade, o motorista teve sorte, pois se o caminhão tivesse virado poucos metros a frente poderia ter despencado de uma altura superior a 30 metros, provocando uma tragédia.
Com mais este acidente, o caminhoneiro Jorge Lisboa, representante da Associação Brasileira dos Caminhoneiros em Petrópolis, voltou a se manifestar sobre o problema e disse que entre as principais causas de acidentes na pista de descida da Rodovia BR-040 está a falta de sinalização. “Motoristas que estão passando pelo local pela primeira vez não têm a menor noção de que a serra tem 20 quilômetros de extensão. Se existissem placas alertando, muitos acidentes seriam evitados, pois as pessoas ficariam mais alertas”, disse Lisboa.
Na opinião do motorista, que há anos percorre o trecho, existe a necessidade de placas indicando, principalmente, longos trechos em declive. Ele acredita que a falta do simples item é uma das principais causas dos constantes acidentes ao longo da serra de Petrópolis. Jorge Lisboa cita que um dos pontos críticos da rodovia fica na altura do Km-80 da pista de descida e se estende por vários trechos.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

domingo, dezembro 20, 2009

sábado, dezembro 19, 2009

Uma viatura e seis homens em posto policial de Araras

Depois de anos de reivindicações, há cerca de 20 dias moradores de Araras foram beneficiados com a implantação de um posto da Polícia Militar. Uma viatura permanece baseada no local 24 horas por dia, além de seis homens divididos em dois turnos. O imóvel foi cedido pela Prefeitura Municipal e, agora, a PM espera firmar parcerias para a reforma, mobiliário e informatização do local.
O Posto Policial de Araras está funcionando no antigo Pórtico da Prefeitura. “Por enquanto se trata de um posto provisório para atender a comunidade, que antes não contava com o serviço. Temos postos em Corrêas, Pedro do Rio e Posse, por exemplo. Araras também fica numa área distante e precisava dessa providência”, explica o tenente-coronel Antônio Henrique Oliveira, comandante do 26ºBPM. “A prefeitura deu o espaço, a PM ofereceu o material humano e, agora, a expectativa está em torno da iniciativa privada”, complementa.
Moradores e comerciantes estão satisfeitos. “Antes dependíamos dos policiais dos postos de Pedro do Rio e Corrêas. Agora o atendimento pode ser mais rápido. Além disso, a comunidade se sente mais segura”, disse um morador. Temporariamente, o telefone do posto é 2225-8223.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

quinta-feira, dezembro 17, 2009

Confraternização 2






Confraternização






Moradores de Araras se queixam de ônibus quebrados e de atrasos

Moradores de Araras continuam indignados com os constantes atrasos e falta de manutenção das linhas de ônibus que atendem a comunidade. Afirmam que o ataque a um dos coletivos da Viação Petrópolis, depredado na noite de segunda-feira, foi “uma tragédia anunciada”, a qual tem grandes possibilidades de voltar a acontecer. Ontem, mesmo diante da grave situação, o problema da comunidade persistia, gerando ainda mais revoltas.
De acordo com Heli Barroso Martins, líder comunitário de Araras, a maioria dos moradores não está a favor do ataque, mas a comunidade já está “com os nervos à flor da pele”. “Vejo esse ataque como uma alerta para as empresas. Espero que, se houver próxima vez, pessoas não sejam feridas. É inadmissível continuar do jeito que está”, opina o líder comunitário, que mora no local há mais de 30 anos. “Em todo esses anos, este é, sem dúvida, o pior atendimento que já tivemos”.
O morador complementa que são cinco ônibus de diferentes linhas que passam por Araras diariamente. “Com frequência nos surpreendemos com três ou quatro coletivos parados ao mesmo tempo no bairro, por conta de problemas mecânicos. Enquanto isso, os usuários estão a pé”, completa. Vale lembrar que são cerca de dez mil habitantes entre Araras e Vale das Videiras.
O descaso da empresa em deixar usuários a pé, no terminal de transbordo ou ao longo da União e Indústria, por conta do ônibus depredado, também foi criticado. Na terça-feira, entretanto, a CPTrans explicou que a empresa corre o risco de ser multada. O órgão disse que requisitou o disco do tacógrafo para saber o número de viagens que o ônibus deixou de realizar, tendo sido notificado.
A partir das informações verificadas através do disco, a empresa será multada. A multa é calculada de acordo com o número de viagens perdidas. Portanto, somente após a verificação do tacógrafo se saberá o valor da multa a ser emitida.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

quarta-feira, dezembro 16, 2009

terça-feira, dezembro 15, 2009

Empresário teve carro metralhado em Itaipava

Um empresário petropolitano teve o carro metralhado na madrugada de ontem, quando saía de Itaipava. Com 54 anos, ele foi ferido de raspão no braço direito mas passa bem e não precisou ficar hospitalizado. Por conta da quantidade de disparos, a hipótese de tentativa de assalto estaria descartada. Peritos contaram dez perfurações de bala no veículo, um Honda Civic.
O crime aconteceu por volta das 4h de ontem, em frente ao número 12.111, em Itaipava. O empresário, proprietário de restaurantes do município, estaria sozinho no veículo quando dois homens numa moto se aproximaram e, simplesmente, efetuaram os disparos. A vítima teria dito apenas que não tinha motivos para sofrer um atentado como tal. Sem inimigos, também não estava sendo ameaçado. A possibilidade do crime ter sido cometido por engano está sendo analisada. A Polícia evita falar sobre o assunto mas garante que o caso está sendo investigado.
Fonte; Tribuna de Petrópolis

segunda-feira, dezembro 14, 2009

domingo, dezembro 13, 2009

Concer disponibiliza o cartão Auto Expresso

A Concer - Companhia de Concessão Rodoviária Juiz de Fora-Rio comunica que a partir do dia 1º de dezembro de 2009 passou a oferecer um novo serviço de passagem automática nas três praças de pedágio da BR-040.

A parceria da Concer com a DBTRANS disponibiliza o Auto Expresso, considerado um dos mais modernos meios de pagamento de pedágios e estacionamentos de shopping centers e funciona através de chips fixados nos para-brisas dos veículos e antenas instaladas junto às praças de pedágio, permitindo a passagem automática pela via.

Esta novidade trará mudanças para quem utilizada o Cartão Concer. Ele continuará sendo aceito, mas em uma via compartilhada com o atendimento
manual. Em caso de qualquer dúvida, informação sobre a mudança operacional do Cartão Concer ou vantagens de migração para o Auto Expresso a orientação é que o usuário entre em contato com a Central de Atendimento Concer, que funciona 24 horas através do 0800 282 0040, ou pelo e-mail ouvidoria@concer.com.br.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

sábado, dezembro 12, 2009

Caminhão tomba na BR e multidão saqueia a carga de papel higiênico

Um acidente ontem de manhã causou uma retenção de aproximadamente dois quilômetros na Rodovia Washington Luiz, na BR-040. Uma carreta carregada com toneladas de papel higiênico tombou na altura do Km-90 da pista de descida da serra, em frente ao Belvedere. Toda a carga foi saqueada por motoristas que passavam pelo local e, principalmente, por moradores da região, que começaram a vender o produto imediatamente.
Famílias inteiras se uniram para carregar os fardos, cada um contendo 16 pacotes de quatro unidades. Carros particulares deixavam a área abarrotados de papel higiênico. Os retardatários aproveitaram até os pacotes rasgados, reunindo-os em embalagens que ainda estavam inteiras. De acordo com testemunhas, a Polícia Rodoviária Federal esteve no local, mas não conseguiu evitar o saque por conta do número de pessoas que se aglomeraram ao redor do caminhão.
“Primeiro verifiquei se o motorista estava bem e, somente depois comecei a pegar os fardos. Se o motorista não tivesse sobrevivido, não teria coragem”, disse uma moradora que, envergonhada, não quis revelar o seu nome. Antes de começar a carregar, ela amontoou nas margens da pista todos os fardos que conseguiu retirar da estrada. Enquanto carregava dois pacotes de cada vez, o filho protegia o restante.
O acidente aconteceu por volta das 7h e o motorista sofreu apenas pequenos ferimentos. Ele foi levado para o Hospital Santa Teresa, onde recebeu os primeiros socorros e ficou internado em observação. De acordo com policiais, as suspeitas são de que o tombamento da carreta, uma Volkswagen, branca, placa LSI-1095, teria sido provocado pelo deslocamento da carga. Outra versão diz que o veículo teria ficado sem freios e desceu a serra desgovernado. Antes de tombar, o motorista ainda conseguiu fazer duas curvas mas, ao sair da última, não conseguiu recuperar o controle e bateu na mureta de proteção. O caminhão tombou na saída do Viaduto do Grinfo, a poucos metros da entrada do Belvedere. A carga, que estava protegida por uma lona, se espalhou pela estrada, fechando a pista completamente. Não demorou muito para que dezenas de moradores começassem a surgir e a saquear a carga, que deveria ter sido entregue num mercado do Rio de Janeiro.
Sob o viaduto, quatro pessoas de uma mesma família amontoaram centenas de fardos e chegaram a montar um ponto de venda de papel higiênico. Eles estavam cobrando R$ 10,00 por cada fardo de 16 pacotes e, até mesmo aqueles que estavam espalhados eram cobrados. Um dos homens ainda se irritava quando alguém tentava lhe “passar a perna”. Mas, apesar do produto estar sendo vendido, dezenas de carros paravam no acostamento para fazer a compra. “Vale a pena, o material é de ótima qualidade e, no mercado o pacote com quatro unidades não sai por menos de R$ 3. Ou seja, um fardo desse não sai por menos de R$ 45,00. Economizei R$ 35,00”, disse um motorista.
Este já estava mais animado, ao contrário de outros motoristas que tiveram que esperar quase uma hora para que o veículo fosse retirado e a pista liberada. O engarrafamento ultrapassou os dois quilômetros. Em apenas oito dias, esta é a segunda vez que o trânsito da BR-040 é interrompido por conta do tombamento de carretas. Na noite do último dia 3 de dezembro, um caminhão carregado de refrigerantes tombou na altura do Km-74 da pista de subida da Rodovia Washington Luiz (BR-040). Apenas o motorista se feriu levemente. Neste, graças à ação da Polícia Rodoviária Federal, apenas parte da carga chegou a ser levada.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

sexta-feira, dezembro 11, 2009

Conselho Comunitário de Segurança chega a Itaipava

O primeiro núcleo do Conselho Comunitário de Segurança foi instalado em Itaipava. A idéia é que, através dele, seja identificado o problema de cada uma das comunidades. As próximas beneficiadas serão Pedro do Rio, em 20 de janeiro, e provavelmente no mês seguinte a implantação aconteça na Posse. A reunião aconteceu na quinta-feira, no Ciep Cândido Portinari, com a presença de 45 pessoas, entre autoridades e representantes da sociedade civil.
De acordo com Joel Martins, presidente do conselho, o núcleo irá funcionar como um “braço” da entidade. “Isso porque, sozinhos, não temos como conhecer todos os problemas de cada lugar. A cidade tem mais de 300 mil habitantes e não é possível fazer uma reunião com toda a população. Para isso, dependemos dos núcleos”, explica Joel. Em alguns locais, as situações mais graves estão voltadas para o tráfico, noutras são os assaltos. “Esta será uma forma mais fácil de detectar a realidade de cada bairro, pois queremos ficar a par de tudo para poder apresentar aos delegados e comandante da PM”, complementa. Cada núcleo possui um coordenador que terá o papel de se reunir com a comunidade para conhecer a carência de cada uma delas. A partir daí será feito um relatório, o qual deverá ser entregue ao conselho.
No mapa já traçado pelo conselho, os bairros Corrêas, Cascatinha, Centro, Bingen, Quitandinha, Mosela, Caxambu e Carangola também serão beneficiados. Através dos núcleos, a idéia é ainda de que projetos como o Solidariedade possam começar a ser desenvolvidos. Este, consiste em oferecer a comunidades carentes complementação à formação das crianças e adolescentes. Para o trabalho, são empregadas práticas esportivas, de ginástica e dança, desenvolvimento da leitura, reforço escolar em português e matemática, alfabetização de adultos, contação de histórias, trabalhos para inclusão digital e palestras, inclusive para os pais, sobre cidadania e direitos fundamentais. Há também oficinas de capacitação para as mães, visando geração de renda, horta comunitária, orientações sobre preservação do meio ambiente, alongamento e ginástica para idosos, além de auxílio e acompanhamento na prática de fisioterapia e psicologia com pessoas portadoras de necessidades especiais.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

quinta-feira, dezembro 10, 2009

quarta-feira, dezembro 09, 2009

Câmara aprova aumento de 5% no Imposto Predial e Territorial Urbano

Com os vereadores Marcelo Motorista (PDT) e Luiz Eduardo (Dudu-PSDC) votando contra, a Câmara Municipal aprovou o aumento de 5% do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). Antes da votação, os vereadores se reuniram com o secretário de Fazenda, Hélio Volgari, que explicou o porquê do aumento, frisando que o percentual foi a média tirada do índice inflacionário, que, segundo ele, está entre 4% a 6%.
Tanto Marcelo Motorista quanto Dudu afirmaram que não votaram no aumento do IPTU por acreditar que vai pesar no bolso do trabalhador em 2010. “Poderia até votar a favor se o índice fosse menor, mas não posso aceitar um reajuste de cinco por cento, sabendo que qualquer aumento de imposto é um peso no orçamento da população assalariada”, explicou o vereador do PDT, frisando que a Prefeitura deveria buscar outra forma de reajustar o imposto, mas que levasse em consideração a situação sócio-econômica dos petropolitanos.
Alguns vereadores que votaram a favor do aumento do IPTU criticaram Marcelo Motorista e Dudu, afirmando que eles estão apenas atuando, pois não aprovar o reajuste do imposto predial pode comprometer o orçamento do município em 2010. O vereador Osvaldo do Vale (Vadinho-PSB) criticou seus colegas, afirmando que estão jogando para “platéia”, assim como fez o vereador Jorginho do Banerj (PSB).
Vadinho, no entanto, ao justificar seu voto favorável, espera que em 2010 o governo Paulo Mustrangi dê o reajuste salarial dos servidores municipais. “Voto a favor do aumento, esperando que este dinheiro seja usado para aumentar também o salário dos servidores, que neste ano nada tiveram”.
O líder do Governo, vereador Wagner Silva (PPS), lembrou que a correção do percentual anual do IPTU é uma prática comum em todas as prefeituras e lembrou que durante o governo passado houve diversos reajustes. Mesmo com estas explicações, os dois vereadores (Marcelo e Dudu) mantiveram o voto contra o aumento. O secretário de Fazenda, Hélio Volgari, disse que o reajuste do IPTU é importante para o Município e explicou que neste ano o desconto para pagamento da cota única do IPTU será de 10% em janeiro, 7% em fevereiro e 5% em março. Ele disse que está em estudo uma mudança no parcelamento das dívidas, que deve passar de 240 meses para 60 meses.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

terça-feira, dezembro 08, 2009

Defesa Civil em estado de atenção devido às chuvas

A Defesa Civil do município permanece em estado de atenção. Apesar da chuva ter dado uma trégua durante o fim de semana, para hoje a previsão é de céu com muitas nuvens com curtos períodos de sol e pancadas de chuva com trovoadas a qualquer hora do dia. No Independência, onde ficou concentrado o maior número de ocorrências, principalmente de deslizamentos de terra, a situação ainda é crítica.
Em todo o município, no período entre 8h de sexta-feira e 12h de ontem, a Defesa Civil registrou 264 chamados e, destes, 203 eram referentes a deslizamentos de terra. Ontem pela manhã, o secretário de Meio Ambiente e presidente do Comitê de Ações Emergenciais, Luiz Eduardo Peixoto, percorreu todo o bairro. Segundo ele, a comunidade contabilizou um total de 29 ocorrências. Entre elas, se destacam três deslizamentos de terra na Rua São Jerônimo, o mesmo número na Rua “O” e outras duas na Rua H. Já na Rua Cacilda Becker foram cinco.
Para Gerson Sales, secretário de obras da Associação de Moradores do Independência, um dos pontos mais preocupantes fica na Rua “O”, onde uma casa está dependurada e a rua escavada por baixo. No local, o trânsito de ônibus e outros veículos pesados está interrompido. Segundo ele, superficialmente, a rua está apenas como algumas rachaduras, mas apenas olhando por baixo é que se pode ter noção dos riscos. “Naquele trecho, providências tem que ser tomadas com urgência, pois se a rua desabar irá atingir outras 10 casas”, conta.
Já no número 1.106 da Rua São Jerônimo, a porta de aço de uma serralheria foi destruída por uma barreira, a qual ainda invadiu o estabelecimento. Por sorte, não havia ninguém no local. De acordo com José Eledir, de 54 anos, normalmente, chovendo ou não, ele fica na serralheria até às 22h. “Mas naquele dia havia saído para fazer um serviço fora. Quado cheguei já estava chovendo e por isso estava em casa, que fica no mesmo prédio”, ressalta, lembrando: “Só ouvi o barulho e quando corri para ver o que havia acontecido fiquei apavorado. A lama fechou a rua e não dava para passar nem mesmo a pé. A rua ficou com dois metros de altura de lama”.
Um aposentado de 67 anos assistiu o momento em que a barreira deslizou e acrescenta: “A terra começou a deslizar aos pouquinhos. Primeiro desceu uma pequena quantidade, mas de repente veio tudo a baixo. Se fosse um pouco mais cedo poderia ter provocado uma tragédia, já que o trecho é usado por muitos estudantes”, completou o idoso.


Entulho nas encostas e falta de calhas
Em conjunto com o Comitê de Ações Emergenciais, a Comdep vem trabalhando para limpeza dos locais atingidos e a CPTrans está cuidando da sinalização dos locais e adequando os itinerários de ônibus. Conforme a coordenadoria de comunicação social da PMP, durante os trabalhos nas regiões atingidas o Comitê de Ações Emergenciais mais uma vez verificou entulho jogado em encostas e também falta de calhas que provocam erosão no solo devido ao escoamento de água da chuva direto nos barrancos e encostas, provocando os deslizamentos de terra e entupimento de bueiros.
Através da nota, a coordenadoria explicou ainda que “desde o início do ano, a Prefeitura de Petrópolis vem realizando medidas de prevenção, como demolição de casas em área de risco e limpeza dos rios, instalou o Disque Entulho para evitar que a população jogo lixo verde e entulho nas encostas, programas de educação ambiental e de reciclagem nas escolas do município”.
O presidente do comitê explicou ainda que será enviado um relatório com toda a situação do município para o Governo do Estado solicitando verba emergencial, para que a recuperação dos locais atingidos comece a ser feita o quanto antes. Desde o fim da tarde de sexta-feira, Peixoto está coordenando as ações do CAE na cidade, informando e discutindo as ações a serem executadas diretamente com o prefeito Paulo Mustrangi, que determinou que todas as equipes das secretarias integrantes do comitê continuem em estado de alerta e de plantão até o fim das chuvas.
Ontem, a Concer também informou que as equipes continuavam trabalhando no Km-81 da pista de descida da Rodovia Washington Luiz - BR 040, para a retirada de barreira que interditou uma das faixas na última sexta-feira. “Os demais pontos atingidos por queda de árvores ou barreiras, como consequência do temporal do último dia 4 de dezembro, já foram limpos ou liberados. Ainda na pista de subida, equipes da concessionária trabalham na recuperação do pavimento do trecho do Km-87, deixando o trânsito em meia pista”.
Fonte: Tribuna de Petropólis

segunda-feira, dezembro 07, 2009

domingo, dezembro 06, 2009

Mais de 100 ocorrências registradas pela Defesa Civil

s fortes chuvas que castigam a cidade desde sexta-feira causaram estragos em vários bairos. De acordo com a Defesa Civil foram registrados mais de 100 chamados no período entre 7h da manhã de sexta-feira (4) e 8h da manhã de sábado (5). O caso mais grave ocorreu no bairro Taquara (Rua Antônio da Silva Ligeiro), onde um deslizamento atingiu uma residência, soterrando três pessoas: Adenilson Gomes Cardoso, 30 anos, portador de necessidades especiais; Wiliam Gomes, 5 anos; e Diego Gomes, 8; As duas crianças são filhos de Janelma Gomes, também moradora da residência, que não ficou soterrada.

A Defesa Civil, junto com o Corpo de Bombeiros da cidade, conseguiu retirar as vítimas de debaixo da terra ainda na madrugada de sábado. Todos foram levados para o Hospital Santa Teresa. Há ainda a suspeita de que uma quinta pessoa ainda esteja soterrada e integrantes da Defesa Civil e dos Bombeiros continuam no local realizando as buscas. Adenilson, irmão de Janelma, está em estado grave e já foi operado no Hospital Santa Teresa; as crianças sofreram algumas escoriações, mas estão fora de perigo.

Na sexta-feira (4), o índice pluviométrico registrado em Petrópolis foi de 121mm, considerado alto pela Defesa Civil. No sábado, o índice pluviométrico registrado até as 10h da manhã estava em 7mm. A previsão é de que ocorram pancadas de chuva durante todo o dia.

Equipes da Comdep atuaram em várias ruas e bairros da cidade até as cinco horas da manhã de sábado (5) no trabalho de limpeza das ruas e remoção de barreiras. Todo o Centro Histórico e principais vias da cidade já estão limpas e desobstruídas. Como a Defesa Civil registrou mais de 40 pequenas quedas de barreiras em ruas e bairros de toda a cidade, o trabalho de equipes de plantão da companhia continuam por todo o município.

Equipes da Secretaria da CPTrans também estão em várias ruas orientando o trânsito e fiscalizando o transporte coletivo que, em algumas ruas, teve que sofrer alterações por problemas de quedas de barreira.

Em alguns trechos da BR-040 ocorreram pequenos deslizamentos. A Concer, concessionária que administra a rodovia, pede aos motoristas cautela e atenção pois pista está escorregadia. Em alguns pontos o tráfego está em meia pista.

Falta de energia e ruas interditadas

Devido as fortes chuvas que castigam a cidade desde sexta-feira muitos bairros estão sem luz. A falta de energia atingiu o Carangola, parte do distrito de Pedro do Rio e ruas do bairro Quitandinha, deixando milhares de pessoas sem luz desde do início da tarde de sexta-feira. De acordo com os moradores, sempre que ocorrem fortes chuvas a situação é a mesma.
"Tentamos contactar a Ampla desde sexta-feira e até agora nada", informou Sérgio Chaiaini, morador do bairro Carangola. Segundo os populares a ligação não está sendo completada desde o início da chuva. "Colocam a gente pra escutar música. Fiquei mais de 15 minutos no telefone e não consegui falar com ninguém", protestou Maria Regina do Nascimento, moradora do bairro Paiolinho, em Pedro do Rio.

Várias ruas da cidade estão parcialmente interditadas devido as fortes chuvas. As viações de ônibus que operam nos distritos voltaram ao normal após ás 22 horas de sexta-feira. Os coletivos da Autobus, Petrópolis, Cascatinha e Cidade das Hortências estão funcionando normalmente.
Já a Viação Esperança, linhas 122 e 137, tiveram o itinerário alterado devido a deslizamentos de terra no bairro Fazenda Inglesa. O tráfego neste local foi transferido para a BR-040, próximo ao Posto Brazão. No bairro Dias de Oliveira onde também houve quedas de barreira, o coletivo comum foi substituído por um micro ônibus.
Os ônibus que circulam no bairro Ceará, Taquara, Independência e Bairro Mauá não estão circulando normalmente. As vias estão interditadas devido a quedas de barreira e de acordo com a Defesa Civil ainda há riscos de mais deslizamentos nestes locais. Os coletivos não estão indo até o ponto final das linhas. De acordo com a assessoria de comunicação da Setranspetro, os ônibus só voltarão a circular normalmente após liberação da Defesa Civil.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

sábado, dezembro 05, 2009

sexta-feira, dezembro 04, 2009

quinta-feira, dezembro 03, 2009

Itaipava abre Brahman Show hoje

Petrópolis tem despertado o interesse das associações de criadores para a promoção de eventos agropecuários. Prova disso é que apenas um mês após ter sido realizada a V Exposição Top Serra do Mangalarga Marchador, a cidade será sede do 4º Itaipava Brahman Show, de hoje até 6 de dezembro, no Parque Municipal, em Itaipava.
O 4º Itaipava Brahman Show, realizado pela Prefeitura de Petrópolis, através da Secretaria de Ciência e Tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Agricultura, em parceria com a Associação de Criadores Brahman, vai reunir mais de 300 animais de criadores de diversas partes do país. A estrela da exposição será o gado Brahman, uma das raças mais difundidas no mundo.
Um dos principais focos da exposição é o intercâmbio tecnológico através de discussões técnicas, mercadológicas e comerciais da cadeia produtiva e ao mesmo tempo receber e apresentar a cidade aos criadores do gado Brahman e de outras raças, veterinários, empresários, pecuaristas, agrônomos, pesquisadores e profissionais de áreas afins.
Está previsto o leilão pela Fazenda Santa Tereza e em todos os dias haverá exposição e negociação de produtos veterinários, adubos e fertilizantes, defensivos agrícolas, máquinas, insumos para agropecuária, além de outros serviços como genética, frigoríficos e estande dos produtos de Petrópolis.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

terça-feira, dezembro 01, 2009

ITAIPAVA: a nova queridinha dos Cariocas

Itaipava: a nova queridinha dos cariocas

Itaipava: a nova queridinha dos cariocas

Renata Maia

“Eu quero uma casa no campo, onde eu possa ficar no tamanho da paz”. Como na canção interpretada por Elis Regina, fugir da correria das grandes cidades e ter uma vida tranquila é um sonho cada vez mais comum. Conhecida como um dos principais destinos turísticos da região Serrana, Itaipava virou moda e conquistou artistas, cariocas e integrantes da alta sociedade. Com clima ameno e ótimas opções gastronômicas, a região tem sido eleita como a melhor alternativa para quem deseja fugir do estresse do dia a dia. “Itaipava é o lugar que escolhi para viver há 8 anos. Nunca me arrependi,” conta a carioca Myriam de Oliveira. Adjetivos à parte, são muitas as razões que fazem de Itaipava a queridinha dos cariocas. Morar à 1 hora do Rio é uma delas, já que muitos não abrem mão de manter a sua rotina profissional.
Itaipava já é considerada, por muitos, como uma espécie de bairro do Rio, só que mais afastado e fora da linha de tiro. No quesito segurança, Itaipava soma mais um ponto, já que fugir da violência urbana é o grande sonho do carioca. “A sensação de insegurança a qual somos submetidos no Rio, simplesmente desaparece quando estamos aqui. Sabe aquela preocupação de olhar para todos os lados, de estar sendo perseguida e de ser alvo de assaltantes? Não sei o que é isso, desde quando me mudei para a região. Sem preocupações, ganhamos qualidade de vida”, comenta o empresário Marcos Paulo.
O crescimento do número de cariocas que buscam refúgio na Serra, chamou a atenção de muitos empresários que começaram a investir na região. Hoje, Itaipava possui opções de moradia com uma infraestrutura tão boa quanto os melhores e mais modernos condomínios do Rio de Janeiro. Um desses exemplos é o condomínio Granja Brasil. Cercado pela Mata Atlântica, o empreendimento possui quadras de tênis, piscinas aquecidas, trilhas ecológicas, quadras de vôlei de praia, fitness center, Centro Gastronômico, além da escola bilíngue João de Barro.

Sinônimo de tranquilidade, qualidade de vida, ar fresco e vegetação exuberante, Itaipava é um lugar privilegiado. A possibilidade de ter contato diário com a natureza é um diferencial de quem escolhe o lugar para viver, principalmente para aqueles que estão habituados com o barulho ensurdecedor das buzinas. “Nunca me esqueço da primeira noite que passei em Itaipava. Apesar do barulho ser bem baixinho, acordei um pouco assustada. Fiquei pensando, o que pode ser isso? E quando me aproximei da janela, havia uma rolinha cantando”, conta Ana Maria Bastos, que trocou a agitação da Zona Sul carioca pela tranquilidade de um apartamento na Serra.
Por aliar charme, segurança, lazer e o 3º melhor clima do mundo, Itaipava conquista até mesmo o público mais exigente, que não abre mão de viver com conforto e sofisticação. É por isso, que o local é sempre lembrado nas viagens de fim de semana, nas novelas de Manoel Carlos, nos roteiros turísticos e por aqueles que já a visitaram. “Durante 1 ano, passei alguns feriados prolongados em Itaipava e me encantei pela região. Algumas características muito peculiares me agradaram muito, como: o povo educado, clima ameno e ótimas opções gastronômicas. Conversei com o meu marido e decidimos adquirir um imóvel para passarmos os fins de semana. Depois de alguns meses, não resistimos. Arrumamos as nossas malas e nos mudamos definitivamente. Foi a melhor escolha que fizemos”, conta a paisagista Patrícia Gomes.

segunda-feira, novembro 30, 2009

domingo, novembro 29, 2009

sábado, novembro 28, 2009

Transporte público é alvo de queixas

O transporte coletivo do município continua sendo alvo de reclamações. Ontem, depois da Viação Esperança, foi a vez da Petrópolis ser o alvo das críticas. Moradores da Comunidade Águas Lindas, em Nogueira, afirmam que os problemas são constantes e até veículos com problemas nos freios e sem bancos são incumbidos de fazer a linha, colocando em risco, inclusive, os próprios funcionários. Os veículos já são conhecidos como “sucatão”.
Um dos que reclama é Márcio Raeder, de 38 anos. Ele lembra, por exemplo, que na última quarta-feira o ônibus teria saído da comunidade com problemas nos freios. “Isso aconteceu logo na primeira viagem, às 5h da manhã. Percebendo que o ônibus estava com problema, uma das passageiras acabou se alterando com o motorista. Com frequência temos que sair de casa a pé porque o coletivo simplesmente não aparece”, conta o morador, salientando que o número de ordem do veículo é o 6072. “Já tentaram colocá-lo no Bairro da Glória, mas os moradores de lá se revoltaram, por isso o trouxeram para cá”, complementa.
Além do estado de conservação dos coletivos, os moradores reclamam ainda dos constantes atrasos. A dona de casa Celeste Mendes, de 32 anos, também está indignada com a situação e salienta que ontem o ônibus que deveria sair da comunidade às 11h30 não apareceu. “Ele só chegou às 11h50. Não podemos contar com o transporte, pois sempre passamos por algum tipo de problema. Já vi até ônibus faltando bancos. Isso é um absurdo”, reclama a usuária.
Já a aposentada Ana Faiol, de 78 anos, conta que a filha é outra prejudicada. “Normalmente ela sai de casa às 5h e fica a pé várias vezes por semana. Sua única alternativa é descer a pé, fazendo uma longa caminhada, ou é obrigada a pagar um táxi. Os ônibus estão em péssimo estado, por isso os atrasos são frequentes”, reclama a moradora.
Mas, as reclamações relativas ao transporte público do município não param por aí. Mais uma vez, coletivos da Viação Esperança voltaram a apresentar defeito. A Rua Jorge Justem, no Bingen, ficou pouco mais de meia hora fechada depois que o coletivo que atende a comunidade quebrou dentro de uma pequena curva.
O trânsito ficou impedido e nem mesmo os veículos de pequeno porte tinham espaço para passar. Segundo moradores, a empresa teria tomado as providências rapidamente.
Correção – O ônibus que ilustrou, na primeira página da edição de ontem, matéria sobre a precariedade dos ônibus da Viação Esperança, não estava com problemas mecânicos. O veículo foi paralisado, na verdade, por manifestação de moradores descontentes com o itinerário cumprido pela linha.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

sexta-feira, novembro 27, 2009

Morador do Vale das Videiras reclama do mau estado do ônibus da linha 605

Moradores do Vale das Videiras reclamam das más condições do veículo que atende a linha 605 (Vale das Videiras x Itaipava), da viação Autobus. Segundo eles, o coletivo estaria com o freio ruim desde o último domingo, colocando em risco a vida dos passageiros, que são obrigados a desembarcar com o ônibus ainda em movimento. De acordo com a moradora Maria Aparecida Pereira, é constante a insatisfação com o transporte coletivo que atende ao bairro. “Quando os horários não estão atrasados porque o ônibus quebrou, somos obrigados a trafegar com medo que aconteça um acidente. Desde o o último domingo o freio do coletivo está ruim. Lá tem muita ladeira e o perigo é grande. Todos os dias eu pego o ônibus das 6h20 e comigo vão muitas crianças para a escola, então imagina o risco que todos correm. Além disso, somos obrigados a desembarcar com o veículo ainda em movimento porque o motorista não consegue parar completamente nos pontos”, contou.
Laerte Geraldo da Silva, jardineiro, indignado com a situação, ligou para o disque-reclamações fornecido pela própria empresa, mas foi tratado com desrespeito. “Liguei para o número que divulgam no ônibus para fazer a reclamação e fui atendido com total grosseria e descaso”, disse.
Questionada sobre a responsabilidade da Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes (CPTrans) na solução da questão, a instituição explica que é feita uma vistoria preventiva em todas as empresas de ônibus a cada quatro meses, e na próxima semana será realizada uma fiscalização na Viação Autobus. Além disso, existe a vistoria corretiva, que é realizada todos os dias nos terminais, onde os fiscais verificam as condições dos veículos e horários e notificam. Com relação ao problema no freio do coletivo da linha 605 (Vale das Videiras x Itaipava), se for comprovado, a viação será notificada, obrigada a retirar o carro e multada por falta de manutenção.
A CPTrans pede para que os usuários liguem para a companhia, através do telefone 2237-1703, para fazer reclamações sobre o transporte coletivo, pois só assim a companhia poderá cobrar melhorias das empresas. O órgão ressalta a importância do usuário ter em mãos o prefixo do ônibus (os quatro número pintados na lataria) na hora de fazer as reclamações, já que os veículos servem a linhas diferentes, dificultando a detecção do carro apenas pelo horário ou número da linha. Com relação à reclamação dos usuários da linha 605 - Vale das Videiras, o Setranspetro esclarece que quando a reivindicação dos passageiros chegou até a empresa, imediatamente o chefe de controle operacional da Viação Petrópolis substituiu o veículo e o encaminhou para análise do departamento de manutenção. A partir disso, foi identificado que o veículo estava com vazamento de ar em uma das mangueiras e não problemas com o freio. O carro recebeu os devidos reparos e voltou a operar normalmente, sem oferecer qualquer rico aos usuários.
Por fim, o Setranspetro esclarece que todas as vezes em que um veículo precisa receber manutenção para corrigir algum problema, os profissionais da Viação Petrópolis se empenham ao máximo para solucionar a questão de forma rápida e responsável para minimizar os prejuízos da população.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

quinta-feira, novembro 26, 2009

Itaipava: a nova queridinha dos cariocas


“Eu quero uma casa no campo, onde eu possa ficar no tamanho da paz”. Como na canção interpretada por Elis Regina, fugir da correria das grandes cidades e ter uma vida tranquila é um sonho cada vez mais comum. Conhecida como um dos principais destinos turísticos da região Serrana, Itaipava virou moda e conquistou artistas, cariocas e integrantes da alta sociedade. Com clima ameno e ótimas opções gastronômicas, a região tem sido eleita como a melhor alternativa para quem deseja fugir do estresse do dia a dia. “Itaipava é o lugar que escolhi para viver há 8 anos. Nunca me arrependi,” conta a carioca Myriam de Oliveira. Adjetivos à parte, são muitas as razões que fazem de Itaipava a queridinha dos cariocas. Morar à 1 hora do Rio é uma delas, já que muitos não abrem mão de manter a sua rotina profissional.
Itaipava já é considerada, por muitos, como uma espécie de bairro do Rio, só que mais afastado e fora da linha de tiro. No quesito segurança, Itaipava soma mais um ponto, já que fugir da violência urbana é o grande sonho do carioca. “A sensação de insegurança a qual somos submetidos no Rio, simplesmente desaparece quando estamos aqui. Sabe aquela preocupação de olhar para todos os lados, de estar sendo perseguida e de ser alvo de assaltantes? Não sei o que é isso, desde quando me mudei para a região. Sem preocupações, ganhamos qualidade de vida”, comenta o empresário Marcos Paulo.
O crescimento do número de cariocas que buscam refúgio na Serra, chamou a atenção de muitos empresários que começaram a investir na região. Hoje, Itaipava possui opções de moradia com uma infraestrutura tão boa quanto os melhores e mais modernos condomínios do Rio de Janeiro. Um desses exemplos é o condomínio Granja Brasil. Cercado pela Mata Atlântica, o empreendimento possui quadras de tênis, piscinas aquecidas, trilhas ecológicas, quadras de vôlei de praia, fitness center, Centro Gastronômico, além da escola bilíngue João de Barro.

Sinônimo de tranquilidade, qualidade de vida, ar fresco e vegetação exuberante, Itaipava é um lugar privilegiado. A possibilidade de ter contato diário com a natureza é um diferencial de quem escolhe o lugar para viver, principalmente para aqueles que estão habituados com o barulho ensurdecedor das buzinas. “Nunca me esqueço da primeira noite que passei em Itaipava. Apesar do barulho ser bem baixinho, acordei um pouco assustada. Fiquei pensando, o que pode ser isso? E quando me aproximei da janela, havia uma rolinha cantando”, conta Ana Maria Bastos, que trocou a agitação da Zona Sul carioca pela tranquilidade de um apartamento na Serra.
Por aliar charme, segurança, lazer e o 3º melhor clima do mundo, Itaipava conquista até mesmo o público mais exigente, que não abre mão de viver com conforto e sofisticação. É por isso, que o local é sempre lembrado nas viagens de fim de semana, nas novelas de Manoel Carlos, nos roteiros turísticos e por aqueles que já a visitaram. “Durante 1 ano, passei alguns feriados prolongados em Itaipava e me encantei pela região. Algumas características muito peculiares me agradaram muito, como: o povo educado, clima ameno e ótimas opções gastronômicas. Conversei com o meu marido e decidimos adquirir um imóvel para passarmos os fins de semana. Depois de alguns meses, não resistimos. Arrumamos as nossas malas e nos mudamos definitivamente. Foi a melhor escolha que fizemos”, conta a paisagista Patrícia Gomes.
Fonte: Notícias da Serra

Dia de Ação de Graças

Ação de Graças e gratidão fazem parte dos sentimentos e atitudes mais nobres cultivados ao longo de toda a história da humanidade. São também sentimentos e atitudes centrais presentes na orientação básica de todas as religiões. Quem ainda não fez a experiência de sentir-se grato por alguma coisa? Constantemente as pessoas agradecem pelo Dom da vida, pelo alimento recebido, por algum evento bem sucedido, por um presente recebido, por apoios e ajudas, por vitórias alcançadas ou por dificuldades e doenças superadas. Trata-se de um sentimento e de uma atitude que mobilizam permanentemente homens, mulheres, jovens, crianças, idosos e adultos, em todas as sociedades e em todas as culturas. Expressões de gratidão e de ação de graças à divindade ou às forças do alto estão presentes em todas as religiões ou tradições religiosas e fazem parte do seu cotidiano.
O “Dia Nacional de Ação de Graças” é uma tradição nascida nos Estados Unidos, com uma grande festa de gratidão a Deus, promovida pelos colonos fundadores de Plymouth, no estado de Massachusetts. Depois de dois anos de grandes tribulações sofridas, eles viram a sua situação melhorar em 1621 e, em função disso, por iniciativa do governador local, decidiram agradecer com uma grande festa. Para os peregrinos puritanos, que haviam chegado ao continente americano, fugindo da perseguição religiosa em sua terra natal, as novas condições tinham sido muito adversas e os que conseguiram sobreviver, tinham realmente todos os motivos para agradecer. O “Thanks-Giving Day”, ou dia de ação de graças, tornou-se mais tarde, o Dia Nacional de Ação de Graças, consagrando-se, para tal, a quinta-feira da quarta semana de do mês de novembro de cada ano.
No Brasil, a instituição do Dia Nacional de Ação de Graças deve-se ao embaixador brasileiro Joaquim Nabuco que ao participar em Washington (Estados Unidos), da celebração desta festividade, assim se expressou: “Eu quisera que toda a humanidade se unisse, num mesmo dia, para um universal agradecimento a Deus”. O desejo do embaixador de então começou a efetivar-se no Brasil, com a aprovação pelo Congresso Nacional, da Lei 781, no governo do Presidente Eurico Dutra, estabelecendo a última quinta-feira do mês de novembro como o Dia Nacional de Ação de Graças, posteriormente alterado para a quinta-feira da quarta semana do mês de novembro de cada ano, coincidindo assim com a data celebrada em outros países.
É uma comemoração um tanto quanto esquecida, lembro-me na minha infância, na cidade de Piracaia (SP) que neste dia reunia-se na Igreja Matriz da cidade, as autoridades civis, militares, judiciais e religiosas (padres e pastores), e no interior do templo com grande número de fiéis era celebrada a Eucaristia solene presidida pelo então padre local. Hoje, penso que raramente é lembrada tal data, mas independentemente dessa festa e da grande força simbólica que reside no desejo de congregar toda humanidade numa mesma data, mobilizada pelos mesmos sentimentos e atitudes, ao menos, lendo este artigo possamos agradecer e sentir que a esperança é a força motriz da mudança. Além disso, é sempre bom olharmos para trás e vermos que caminhamos, talvez nos mesmos caminhos... Mas tudo bem, a terra é redonda e o céu é sempre novo a cada dia, a cada instante, ele é sempre o mesmo ainda que outro. O labirinto mais perigoso é a linha reta. Portanto, revisar é importante. Mirar as estrelas, os sóis de todo o dia. Mas não seguir em linha reta. Tudo o que é vivo não é reto. Desviar, circundar, dar a volta, contornar, contemplar. Velocidade não combina com sensibilidade e lentidão não é defeito, é jeito de estar e sentir o mundo. A utopia está no horizonte. Caminhamos dois passos e o horizonte fica dez passos mais distante. Então para que serve a utopia? Para isso, serve para caminhar. Vivendo esta utopia, caminhando rumo a um horizonte, vendo, julgando, agindo e celebrando, semeando a esperança e agradecendo.

quarta-feira, novembro 25, 2009

Trecho de concessão da Concer é mal conservado

sfalto rachado em vários pontos, faixas mal pintadas e os conhecidos “olho de gato” já gastos são alguns problemas que os turistas estão enfrentando quando entram no município. As faixas de pedestres estão gastas e ainda existem desníveis na pista, que formam verdadeiras lombadas, as quais oferecem riscos para os motoristas, já que nem mesmo são sinalizadas. O trecho é de concessão da Concer, empresa que administra a Rodovia BR-040.
No caso dos desníveis, a situação mais crítica é observada nas proximidades da entrada do bairro Thouzet. Nesta região, comerciantes contam que acidentes ocorrem com frequência. “Mesmo que o motorista esteja atento, muitas vezes não percebe esse desnível, que mais parece um grande caroço. Acaba passando em velocidade normal”, conta Carlos Roberto, operário de uma fábrica da região.
Carlos Roberto acrescenta que, mesmo pega de surpresa, a maioria dos motoristas consegue evitar colisões, mas muitos veículos acabam sendo danificados. “Às vezes passo a hora do meu almoço observando e vi um acidente, sem gravidade, acontecer. Realmente fica feio um turista entrar na cidade e encontrar essas situações. Provavelmente já ficam esperando o que irão encontrar pela frente”, disse.
Os problemas no asfalto da General Rondon, principalmente as rachaduras, podem ser observados em toda a extensão da rua. São tantos remendos mal feitos que taxistas da região já apelidaram a rua como “quebra-cabeças”. Os motoristas lembram que uma obra de recuperação do piso foi feita recentemente nas imediações da Casa de Portugal, mas o trabalho parou por ali. “Chegamos a pensar que iriam recuperar toda a General Rondon, mas isso não aconteceu. Em frente ao número 109, por exemplo, as rachaduras são incontáveis”.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

terça-feira, novembro 24, 2009

PRF alerta que pode fechar a BR-040 quando houver risco de desabamento

Preocupada com temporais, a Polícia Rodoviária Federal fez um alerta sobre possíveis fechamentos das rodovias federais que cortam o estado. A Rodovia Rio/Petrópolis - BR 040 está incluída. A hipótese foi reforçada depois da morte de três pessoas de uma mesma família, num deslizamento de terra na Rio/Teresópolis. A medida, entretanto, deve ser aplicada apenas em situações de emergência, e antes é necessário ser feito um estudo técnico pelas concessionárias que administram as rodovias ou pela Defesa Civil.
De acordo com o inspetor André Azevedo, da PRF, na realidade o departamento sempre teve essa atribuição. “Ou seja, se os agentes perceberem alguma situação de risco, devem contatar a concessionária, a qual já tem informações sobre a área, incluindo o seu relevo, se é acidentado ou não”, explica, completando: “A partir daí, se houver necessidade a estrada é bloqueada pela PRF. Antes, porém, é verificada a localização das vias alternativas”.
André Azevedo disse ainda que, nos casos de temporais como os que atingiram a Rio/Teresópolis, a rodovia pode ser fechada mas os trâmites são parecidos. “Temos que procurar a concessionária que tem um estudo e sabe quais são os pontos de risco. Em todos esses casos, o que a PRF faz é o simples ato de fechar a estrada, pois os funcionários da empresa não têm esse poder”. Ele explica que, na realidade, se trata de uma ação conjunta que inclui ainda o DNIT. “Cada um desses órgãos é responsável por um segnmento. No caso de desastres, a competência é da Defesa Civil”, completa.
O inspetor André Azevedo, da PRF, ressalta que as rodovias Rio-Santos, no Sul Fluminense, e Rio-Teresópolis, são as que mais preocupam. Ele não citou a Rodovia Washington Luiz, mas salientou que um dos trechos da Rodovia Rio/Teresópolis que vai ganhar atenção especial é o que corta o Parque Nacional da Serra dos Órgãos, o que compreende aproximadamente 15 quilômetros.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

segunda-feira, novembro 23, 2009

BR-040: mais uma carreta tombada

Um caminhoneiro de 32 anos, identificado apenas com Willian, ficou ferido ontem em um acidente na pista de subida da BR-040, depois que o caminhão que conduzia tombou na altura do quilômetro 74 da rodovia. A Scania azul, placa CBR 2832, de Fortaleza-CE, havia saído do bairro da Penha, no Rio de Janeiro, em comboio com outras duas carretas. Por volta de 7h30 da manhã, ao fazer uma curva acentuada, o motorista perdeu a direção do veículo, que tombou.
O motorista José Filho, que conduzia a carreta que seguia atrás de Willian no comboio viu tudo acontecer e afirma que um problema mecânico causou o acidente. “Vínhamos devagar, quando ele fez a curva o suporte do feixe de molas quebrou e o caminhão tombou. Eu parei logo em seguida, minhas pernas até bambearam. Fui correndo para socorrê-lo, mas ele já tinha saído sozinho da cabine”, conta, lembrando que o colega foi levado para o hospital, mas passa bem. “Ele saiu consciente, feriu os dedos das mãos, ficou com um dos braços inchado e teve um corte na cabeça, mas aparentemente estava bem”, lembra.
O motorista foi socorrido por equipes de resgate da Concer e levado para o Hospital Santa Teresa. Segundo José, o caminhão, que presta serviço para a transportadora LDB, levava uma carga de produtos variados, entre os quais copos de vidro e materiais para embalagem. O comboio seguia em direção a Fortaleza. O caminhoneiro alerta para a necessidade de cuidados com a manutenção dos veículos. “É muito importante que as pessoas estejam atentas para fazer a manutenção dos caminhões. Nesse caso de hoje, por exemplo, o que aconteceu foi uma falha mecânica”, alerta.
O acidente deixou o trânsito em meia pista naquele trecho, que foi sinalizado pela Concessionária. Com o baú da carreta rasgado pelo acidente, as mercadorias ficaram à mostra e algumas pessoas tentaram saquear a carga, mas a situação foi controlada com a chegada de uma equipe da Polícia Militar, que permaneceu no local para evitar novas investidas. Às 11h, equipes da Concer e do reboque esperavam no local que um outro caminhão mandado pela empresa chegasse para fazer o transbordo da carga. Somente após a retirada dos produtos a Scania poderia ser destombada e removida do local. Apesar do fluxo intenso de veículos na rodovia, o acidente não causou problemas no trânsito.


Capotagens em sequência num mesmo trecho
Equipes do Corpo de Bombeiros foram mobilizadas para pelo menos quatro acidentes entre a tarde e a noite do feriado de sexta-feira. O caso mais grave aconteceu na BR-040, onde dois carros capotaram em sequência na altura do quilômetro 70 da pista sentido Juiz de Fora. Um homem e uma mulher ficaram feridos.
O primeiro acidente aconteceu por volta de 16h50. Por motivos ainda desconhecidos, o Hyundai Tucson prata capotou em um trecho de reta na rodovia. Poucos minutos depois, antes mesmo da chegada das equipes de resgate, o Volkswagen Voyage cinza capotou no mesmo lugar. Uma mulher de 38 anos que estava no Tucson foi socorrida e levada em estado grave para o Hospital Santa Teresa. Um homem que estava no Voyage teve escoriações e também foi levado para o Hospital.
Por volta de 18h50, na altura do número 85 da Estrada das Arcas, uma colisão entre dois veículos deixou uma jovem ferida. De acordo com a polícia, o veículo Santana, cinza, placa KUG 5500 seguia pela via quando teve a traseira atingida por um Fiat Uno verde, cuja placa não teria sido anotada. Depois de atingir o Santana, o motorista do Fiat acelerou o carro e fugiu do local. Por causa do impacto, uma passageira de 22 anos ficou com dores no corpo e foi levada para o Hospital Santa Teresa.
Mais tarde, por volta de 22h, a vítima foi um rapaz de 29 anos que foi atropelado por um veículo não identificado na Estrada Bernardo Coutinho, em Araras. O acidente aconteceu na altura do número 10.351, próximo ao ponto final do ônibus. Equipes de resgate do Corpo de Bombeiros foram acionadas para socorrer o rapaz, que também foi levado para o Hospital Santa Teresa.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

domingo, novembro 22, 2009

Terror! Dilma em "Lula Nova"!

BUEMBA! BUEMBA! Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República! Direto do País da Piada Pronta! Fernanda Young diz que se arrependeu de ter posado nua. Kibeloco: "Imagine quem comprou a revista". E diz que o Palmeiras tá como guaraná de dois litros, chega na metade, acaba o gás! E posso fazer uma pergunta pra Geisy da Uniban? Quando ela vai lavar aquele vestido rosa?! Acho que se lavar, encolhe. Ou seja, desaparece.
E o megassucesso filme de vampiro "Lua Nova"? Diz que vão fazer uma versão 2010: "LULA NOVA"!
Com a Dilma no papel de vampira! Filme de terror. "Lula Nova"! Depois de "Lula, o Filho do BARRIL"! E mais um: "2 Filhos do FHC". E aquele filho do FHC com a jornalista da Globo podia voltar pro Brasil e pegar uma ponta em "Malhação".
E o Lula extradita ou não extradita o terrorista italiano?! O único italiano que o Lula odeia é o Paolo Rossi. Que tirou o Brasil da Copa de 82. E o único italiano que a gente ama é o Baggio. Que errou o pênalti e viramos tetra. E o único italiano que eu amo é o Armani! E uma amiga disse que o único italiano que ela ama é qualquer italiano. Extradita pra cá que eu boto em prisão domiciliar.
E tão dizendo que o Lula devia extraditar o Sarney! Quero ver o Berlusconi aguentar. E eu já disse por que o PT não quer extraditar o Battisti. Ele é da facção Proletários Armados pelo Comunismo, PAC! É pai do PAC! E Lula é o Filho do Barril! E tá bombando no YouTube o vídeo da Valeria Mattos, "KOMBI BRANCA"! "Fuscão Preto", "No Meu Crossfox" e, agora, "Kombi Branca". Terrorismo da Volks! Comentário de um cara: "Sabe de quem é a culpa? Das Lojas Americanas, que insistem em vender câmera digital em dez vezes. Maldita inclusão tecnológica". E outro: "Quero saber se ela tem mais músicas como fusca preto, brasília amarela e mais latas velhas". Boa ideia. Vou gravar o clipe "Minha Lata Velha". E jogar no YouTube. É mole? É mole, mas sobe! Ou, como disse o outro: é mole, mas trisca pra ver o que acontece! Antitucanês Reloaded, a Missão.
Continuo com a minha heroica e mesopotâmica campanha Morte ao Tucanês. Acabo de receber mais um exemplo irado de antitucanês. É que em Contendas do Sincorá, na Bahia, tem um inferninho chamado Matéria Paga! Ueba! Mais direto impossível. Viva o antitucanês. Viva o Brasil E atenção! Cartilha do Lula.
O Orélio do Lula. Mais um verbete pro óbvio lulante. "Hecatombe": um monte de companheiro numa kombi! Branca. O lulês é mais fácil que o ingrêis. Nóis sofre, mas nóis goza. Hoje só amanhã. Que eu vou pingar o meu colírio alucinógeno.

sábado, novembro 21, 2009

sexta-feira, novembro 20, 2009

Uso de cinto é fiscalizado

O presidente do Detran, Fernando Avelino, acaba de orientar os agentes do departamento para que examinem se os passageiros do banco de trás dos veículos parados nas blitze estão usando o cinto de segurança e multem o condutor se a irregularidade for constatada. A medida se baseia em dados de pesquisas realizadas no Brasil e no Japão, que indicam que 80% das mortes dos passageiros do banco da frente poderiam ser evitadas se os ocupantes do banco de trás estivessem usando o cinto. A situação ganha tons de dramaticidade porque, no Brasil, apenas entre 3% e 7% dos passageiros do banco de trás usam o equipamento, contra os mais de 85% que ignoram o uso do dispositivo de segurança.
O rigor da fiscalização já foi posto em prática desde ontem, durante a megaoperação contra os inadimplentes do IPVA e falta de licenciamento anual que o Detran realiza desde segunda-feira (16/11) em 24 municípios do estado. Com os 75 veículos apreendidos ontem em Itaguaí, Macaé e Itaperuna, o total de carros rebocados desde segunda-feira é de 206. Ontem, os agentes agiram nos postos do Batalhão de Policiamento Rodoviário da PM (BPRv) de Santa Cruz e no de Maricá, e também nos municípios de Barra Mansa e Itaperuna.
No feriado de hoje, as operações serão em Magé, Teresópolis, Angra dos Reis, Itaperuna, Búzios e no posto do BPRv de Paracambi. Amanhã, em Japeri, Mangaratiba, Itacuruçá (distrito de Mangaratiba), Nova Friburgo e Rio das Ostras. No domingo, em Muriqui (distrito de Mangaratiba) e no posto do BPRv da Via Lagos, em Rio Bonito, e na segunda-feira (23/11) em São Gonçalo, São João de Meriti e Duque de Caxias.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

quinta-feira, novembro 19, 2009

Vinte horas sem luz em Bonsucesso

As falhas no fornecimento de energia elétrica na região de Itaipava, comuns durante o período de verão naquele distrito, neste ano começaram mais cedo. Na terça-feira, moradores do loteamento Vale de Bonsucesso ficaram às escuras por cerca de 20 horas, por causa de uma árvore que caiu sobre a rede. Segundo moradores, a interrupção do fornecimento de energia aconteceu por volta de 2h da madrugada e, apesar das inúmeras reclamações junto à concessionária Ampla, somente às 22h30 a energia foi restabelecida. A demora do serviço tão essencial revoltou os moradores. Para o presidente da associação de moradores do local (Amavale), Carlos Eduardo da Cunha Pereira, a demora do restabelecimento da rede é um desrespeito da concessionária com os usuários.
“O loteamento Vale de Bonsucesso é antigo, tem mais de 100 propriedades, e ano após ano sofremos com esse problema. O atendimento da Ampla tem sido o pior possível. Os moradores ficaram mais de 20h sem luz, apesar de todas as reclamações. Na terça-feira de manhã, tinha um caminhãozinho da Ampla aqui. Eu falei com o funcionário e ele me disse que estava indo à Secretário e que teríamos que esperar. As pessoas perderam todos os alimentos que ficaram sem refrigeração, pois foram mais de 20 horas às escuras. Pagamos uma tarifa altíssima pela energia e quando precisamos de assistência eles demoram esse tempo todo. É uma falta de respeito”, reclama.
A assessoria de Imprensa da Ampla disse ontem que o problema aconteceu devido a uma árvore que caiu sobre a rede. Ainda segundo a assessoria, uma equipe foi enviada imediatamente ao local, mas como a árvore precisava ser cortada e retirada, outras equipes precisaram ser mobilizadas para auxiliar no restabelecimento da rede.
O presidente da Amavale lembra que o problema de queda de energia por causa de galhos e até mesmo árvores que atingem a fiação é comum naquela região, situação que poderia ser evitada se a poda de árvores fosse realizada com a frequência necessária. “Nós sempre pedimos que a poda seja feita, pois essa região aqui é muito arborizada. Com a chuva e o vento, os galhos sempre atingem a fiação. No período de verão, toda vez que acontece uma interrupção os moradores ficam apreensivos. E esse problema não acontece somente aqui em Bonsucesso, não. Tenho uma casa no Vale das Araucárias e no princípio da semana passada uma árvore atingiu a fiação. Ela não chegou a ser danificada, mas os moradores acionaram a Ampla para pedir que retirassem antes que os fios arrebentassem. Apesar disso ter acontecido no início da semana, até domingo ela continuava lá sobre os fios. Pagamos uma tarifa muito alta, por um serviço que não tem qualidade”, afirma Carlos Pereira.
Segundo ele, a Associação de Moradores do Vale de Bonsucesso denunciou a demora de mais de 20 horas no restabelecimento de energia à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). “Entramos com a reclamação em nome da associação de moradores e orientamos todos eles que façam suas reclamações à agência. Além disso, comunicamos o que aconteceu aos vereadores e ao secretário municipal de Meio Ambiente”, disse, frisando que os moradores daquela região se sentem desprotegidos. “A Ampla deveria ter feito a poda das árvores, mas não fez, então, o mínimo que eles poderiam fazer é ter mais equipes de manutenção para que o atendimento seja ágil e não demore tanto tempo para a energia ser restabelecida”, finaliza.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

quarta-feira, novembro 18, 2009

Concer ganha liminar para impedir protesto de vereadores na BR-040

Liminar concedida pela Justiça Federal de Petrópolis à Concer impede vereadores de promover manifestação na BR-040, aplicando a eles uma multa de R$ 10 mil. O presidente da Câmara, vereador Bernardo Rossi (PMDB), disse que as críticas vão continuar até que as reivindicações dos petropolitanos sejam atendidas pela concessionária e pela Agência Nacional de Transportes Terrestre (ANTT), tais como a redução do pedágio, a ligação Bingen/Quitandinha e a duplicação da pista de descida da serra.
Para Bernardo Rossi, esta atitude da Concer mostra a força do Poder Legislativo petropolitano, ao mesmo tempo em que deixa claro “o golpe feito contra a cidade. O vereador Osvaldo do Vale (Vadinho – PSB), disse que a cidade somente será atendida nas suas reivindicações quando a população se manifestar, citando como exemplo a passarela em Vila Rica, que foi construída apenas depois de várias mortes e por causa da manifestação popular. Para o vereador Marcio Vieira Muniz, líder do PSC, é lamentável que a Concer se utilize de mecanismos como estes, vistos apenas no tempo da ditadura, e fez duras críticas à concessionária. “Em nenhum momento falei sobre manifestação na estrada, até porque sou contra. A matéria citada pelo advogado da Concer não tem nenhuma declaração minha e por isso pretendo acionar a concessionária”.
O vereador João Tobias, líder do PPS, está acionando sua assessoria jurídica para tomar as medidas cabíveis, “pois em nenhum momento falei em fechar a estrada”. Ele lembrou que sua declaração é que os vereadores devem ir direto ao Ministro do Transporte, evitando a ANTT.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

terça-feira, novembro 17, 2009

Obra da RJ-117 já está na fase final

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER-RJ) está entrando na fase final das obras de reestruturação da RJ-117, no trecho compreendido entre Paty do Alferes e o Vale das Videiras, numa extensão total de 23,7Km. A equipe técnica à frente do projeto afirmou que 75% dos serviços programados já foram concluídos, com 16Km de pista totalmente reestruturados. A estimativa é de que até fevereiro de 2010 sejam finalizados o asfaltamento e a sinalização nos 7Km que faltam. Essa rodovia possui grande importância estratégica para a Região Centro-Sul do Estado.
Ao todo, estão sendo investidos mais de R$ 25 milhões na realização deste projeto. As equipes trabalham em ritmo acelerado, de segunda a sábado, em dois períodos. O projeto gerou cerca de 70 empregos diretos.
A RJ-117 interliga as cidades de Petrópolis, na Região Serrana, e Paty do Alferes, no Centro-sul fluminense, e é um dos trajetos mais utilizados por moradores e turistas da região, principalmente para quem visita a Serra das Araras. A rodovia possui 44,3Km de extensão e terá 100% de suas pistas pavimentadas, ao fim das atividades programadas pelo DER.
Segundo estudos técnicos, a reestruturação total dessa rodovia vai beneficiar cerca de 150 mil usuários. O município de Paty do Alferes é conhecido pela tradicional Festa do Tomate, que costuma atrair aproximadamente 40 mil pessoas por dia, durante o feriado de Corpus Christi.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

segunda-feira, novembro 16, 2009

domingo, novembro 15, 2009

sábado, novembro 14, 2009

sexta-feira, novembro 13, 2009

Defesa Civil realiza vistorias em áreas atingidas pelas chuvas

Durante toda a semana, a Defesa Civil está realizando vistorias nas áreas atingidas. Ontem de manhã, o coronel De Paula, coordenador do órgão, foi pessoalmente para as ruas e visitou o Vila Rica. Na casa de Maria Inês, percebeu que o imóvel havia sido construído num corte irregular de terra, o que provavelmente fragilizou o barranco. “Além disso, o imóvel não possuía calhas e o telhado tem uma inclinação para o lado do barranco, que acabava ficando encharcado”, explicou o coordenador.
Através da Assessoria de Comunicação Social da PMP, a Defesa Civil informou ainda que das 20h20 de quarta-feira até às 10h de ontem foram recebidos 13 chamados. Entre as ocorrências estava o deslizamento no Vila Rica, em Pedro do Rio. Ontem pela manhã, um deslizamento de terra foi registrado na Rua José Gregório de Miranda, 361, no bairro Siméria. As quatro pessoas foram retiradas da residência, devido ao risco de queda de uma árvore. Na Rua João Xavier, 799, na Duarte da Silveira, também ocorreu um deslizamento de terra e há risco da casa desabar.
As famílias estão sendo atendidas pela Setrac. De meia-noite de quarta-feira até agora, o índice pluviométrico acumulado é de 70mm. A Defesa Civil está em estado de atenção devido ao solo úmido.
Quedas de barreiras na Rodovia Washington Luiz, pista de subida da Rodovia BR-040, também foram registradas durante a madrugada de ontem e causou a interdição parcial da estrada. No Km-99, uma barreira deixou a faixa da direita interditada, enquanto no Km-101 o temporal causou outra queda de barreira, obstruindo a canaleta do trecho, sem atingir a pista. Para os reparos, a concessionária mobilizou equipes de manutenção para a retirada da terra e limpeza da pista.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

quinta-feira, novembro 12, 2009

Moradores de Itaipava sofrem com as chuvas

O apagão acompanhado pela chuva forte que atingiu a região de Itaipava na noite de terça-feira deixou apreensivas dezenas de famílias que moram próximas ao Rio Santo Antônio. A densidade da chuva fez com que o nível do rio subisse rapidamente, inundando algumas casas durante a madrugada. Em meio à escuridão, moradores perderam o sono com medo que a tragédia que atingiu a região no carnaval de 2008 se repetisse. Naquele ano, nove pessoas morreram, entre as quais três crianças, vítimas de deslizamentos e desabamentos, e dezenas de famílias que tiveram as casas inundadas e ficaram desabrigadas.
“Tenho trauma de chuva forte. Depois do que aconteceu no ano passado, ficamos em alerta sempre que chove muito. Estou acordada desde ontem (terça-feira) de manhã, não consegui dormir essa noite, pois a cada hora a chuva aumentava mais. Sempre que chove forte é uma agonia para os moradores da Estrada do Gentio”, contou a estudante Jéssica de Oliveira, de 17 anos, lembrando que a casa em que mora com parentes não foi atingida ontem, mas a casa em que a tia reside com quatro filhos e o marido, que é mais próxima à margem do rio, foi totalmente inundada. “A água subiu muito rápido, não deu tempo deles salvarem quase nada, apenas alguns documentos e poucas roupas. Não foi só a casa dela, não, tiveram outras que encheram até o telhado”, disse a moradora.
A madrugada também foi longa para o pedreiro José Carlos Pontes Pacheco, que em 2008 teve a casa na Estrada do Gentio atingida pelas chuvas. “Fiquei acordado a noite inteira. Naquela tragédia de 2008 a água chegou a 1m80 dentro da minha casa, perdi tudo. Depois disso, quando chove ficamos muito apreensivos. Com a chuva de ontem eu fiquei acordado a noite toda”, contou o pedreiro. Situação semelhante foi vivida por moradores de uma vila de casas às margens da BR-495 (Petrópolis/Teresópolis). Cansados de conviver com o drama de perder móveis e eletrodomésticos sempre que o rio transborda, moradores estavam revoltados. “O que aconteceu é o que vocês estão vendo aí, o rio encheu e mais uma vez inundou as casas, mas ninguém faz nada para melhorar essa situação”, disse, revoltada, uma moradora, sem se identificar.
Na vila, mais de oito casas foram invadidas pela enchente. “Entrou muita água e lama. O rio enche muito rápido, não dá tempo de tirarmos nada”, conta a moradora Mariana Christian Machado do Couto. Fernando Couto, que tem parentes que moram no local, conta que precisou abandonar a casa em que morava ali, por causa do risco de desabamento. “Tive que sair porque a minha casa ficou toda rachada. Toda vez que chove a gente fica preocupado, não dorme. Isso aqui enche muito rápido”, afirma.
Segundo moradores, o problema estaria se agravando por conta de aterros que vêm sendo feitos em grandes propriedade às margens do rio. “A água entra aqui porque o pessoal faz muitos aterros. O Ibama e fiscais já vieram aqui, mas não adiantou nada. Ao lado da ponte, por exemplo, tinha um terreno que foi aterrado; outras propriedades grandes aqui na região também fazem aterros e com isso quem acaba sofrendo é a população pequena. Os aterros deixam o rio mais estreito e a água acaba invadindo nossas casas”, denuncia o vigia Jorge Luiz de Souza, que mora naquela região há 30 anos.
Na mesma região, o campo do Benfica Futebol Clube ficou totalmente inundado pelas águas do Rio Santo Antônio. No vestiário, a água chegou a quase um metro de altura, danificando uniformes e a máquina de cortar o gramado do campo. Segundo o presidente do clube, Willian Périco Benevides, a maior preocupação é com o desmoronamento das margens do rio, que está a menos de dois metros do campo do clube. “Depois das chuvas de 2008, a Prefeitura disse que faria o muro de gabião para evitar que essa margem continuasse desbarrancando e atingisse o campo, mas até hoje isso não foi feito. Estamos preocupados, pois se nada for feito, com as chuvas de verão desse ano, isso vai desmoronar e atingir o campo, que é usado também como praça de esportes e aí teremos que paralisar os trabalhos nas categorias de base, que atende mais de 200 crianças da comunidade”, disse, lembrando que o clube disputa todas as categorias da Liga Petropolitana de Desportes. Sem qualquer ajuda do poder público, o presidente do clube trabalhava ontem sozinho na limpeza do campo. “Entrou água e muito lixo no campo. Comecei a limpar hoje cedo, mas temos trabalho aqui que vai se estender até amanhã e sexta-feira. A enchente trouxe muita sujeira para o campo”, comentou, lembrando que ainda ontem o clube entraria em contato com a Comdep para pedir algum tipo de ajuda na limpeza do campo.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

quarta-feira, novembro 11, 2009

Chuva forte causa estragos nos distritos

Equipes da Defesa Civil, Comdep, Secretaria de Obras e CPtrans estão trabalhado na região de Corrêas, Nogueira , Castelo São Manoel e Quitandinha desde a manhã do dia (10) devido às chuvas que atingiram os distritos na noite da última segunda-feira (9). Segundo a Defesa Civil, a chuva que atingiu a região por volta das 20 horas de segunda-feira atingiu o índice de 65 mm.

Devido à grande quantidade de água, o Lago de Nogueira, mesmo tendo passado por um trabalho recente de limpeza total por parte da Comdep, acabou transbordando e a água invadindo algumas casas próximas.

Na Estrada do Calembe, a pista está em mão-dupla no sentido Centro, já que a pista no sentido bairro está interditada. Funcionários da Secretaria de Obras passaram toda a manhã no local para averiguar o material necessário para a reconstrução do trecho da pista interditado. Equipes da CPTrans também estiveram no local para cuidar da sinalização das pistas.

Na Rua Joaquim Viana, no Castelo São Manoel, a forte chuva descalçou uma das casas, que foi interditada, e o morador foi orientado a procurar abrigo em casa de familiares. Em uma ação preventiva, toda a área abaixo da residência também foi isolada pela Defesa Civil.

No bairro Quitandinha, a Rua Estados Unidos ficou novamente sem os paralelos e equipe da Secretaria de Obras estão desde a manhã de hoje no local, cuidando da recuperação da via, que está interditada.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

terça-feira, novembro 10, 2009

Petrópolis protesta contra a Concer e ANTT em três casas legislativas

Nas três casas legislativas do país – Câmara Municipal, Alerj e Câmara dos Deputados –, nesta semana, os representantes petropolitanos vão criticar a posição da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e da Concer sobre a ligação Bingen/Quitandinha. “Em momento algum acreditei nas promessas da agência, pois a realização da ligação entre os dois bairros depende apenas de boa vontade, e é o que a ANTT e a Concer não têm com Petrópolis”, frisou o líder do governo, vereador Wagner Silva (PPS).
Um dos projetos sobre a ligação Bingen/Quitandinha entregue à ANTT foi elaborado durante a gestão de Wagner Silva à frente da Comdep, no período de 1997 a 2000. “Conheço bem esta história e desde aquela época nunca vi boa vontade da concessionária e da agência em querer resolver o problema. Enquanto eles fazem este discurso, os petropolitanos são prejudicados”. O líder do governo não tem dúvida de que o que a Concer e a ANTT estão fazendo é para conseguir prorrogar o contrato por conta de obras que ninguém tem certeza se serão realizadas. A audiência em Petrópolis, realizada em julho na Câmara Municipal, para o vereador Wagner foi o prelúdio do que eles fizeram na sexta-feira passada, quando a ANTT não autorizou a realização da obra de ligação passando pelo túnel. “É um absurdo, pois pagamos o pedágio, financiamos as obras em trechos fora de Petrópolis na BR-040 e a Concer não nos beneficia em nada”.
Wagner Silva disse que a Concer vem fechando todas as vias alternativas, como a existente em Xerém que sai na Casa do Alemão. “Não tenho dúvida de que a concessionária vai fechar esta via, prejudicando os petropolitanos e todos que a usam”, frisou, lembrando que hoje o pedágio é a um dos problemas para empresas se instalarem em Petrópolis.
Com relação à ligação Bingen/Quitandinha, o vereador disse que o Governo Municipal terá que buscar uma alternativa e citou como uma das possibilidades a rua que passa pelo 32° Batalhão de Infantaria Motorizado e sai no Valparaíso. Para ele, esta rua poderia ser liberada para os carros de passeio, tanto durante o dia quanto à noite. “Tenho certeza que isto iria ser uma alternativa viável, dando saída tanto para o centro quanto para o Quitadinha e o Alto da Serra. Não entendo por que ela fica fechada para o batalhão”.
Fonte: Tribuna de Petrópolis

segunda-feira, novembro 09, 2009

Civis quer união contra a Concer

Diante da resposta negativa da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) sobre a ligação Bingen/Quitandinha, o coordenador do Instituto Civis, Mauro Correa, disse que a Câmara e a Prefeitura deveriam atuar em conjunto e, com apoio de outras instituições, mover uma ação judicial contra a Concer e a ANTT. “Não cabe mais discutir o assunto, o que precisamos é de uma ação, pois esta ligação é fundamental para o plano viário da cidade”. Para Mauro, a Câmara deveria ser articular junto com a Procuradoria do Município, ver o que já existe no Ministério Público Federal, e juntos promover uma ação judicial contra a concessionária e a agência. “O que não pode acontecer é cada um buscar um caminho diferente, precisamos estar todos no mesmo caminho, pois somente na Justiça vamos conseguir mudar”.
Na avaliação, é preciso retomar a discussão sobre o contrato da Concer com o Governo Federal, principalmente com relação à taxa de lucratividade. “A Concer trabalha com uma taxa estabelecida dentro de uma situação econômica onde existe uma inflação alta, mas agora, segundo o coordenador do Civis, não é mais assim e a taxa precisa ser revista.
Mauro Correa explicou que as atuais concessionários estão trabalhando com uma taxa de lucratividade dentro da situação econômica atual do país e por isso as tarifas de pedágio são mais baixas. “Como usuário há trinta anos da Serra Rio/Petrópolis, conheço os problemas, mas não vejo a Concer dar uma solução definitiva para eles, principalmente na pista de subida. Acredito que somente com uma ação seremos capazes de resolver este problema”.
Fonte: Tribuna de Petrópolis